"Por isso, digo-vos: não tenhais medo de construir a vossa vida na Igreja e com a Igreja! Sede orgulhosos do amor a Pedro e à Igreja que lhe foi confiada. Não vos deixeis enganar por aqueles que desejam opor Cristo à Igreja! Só existe um rochedo sobre o qual vale a pena construir a própria casa. Esta rocha é Cristo. Só há uma pedra sobre a qual vale a pena fundamentar tudo. Esta pedra é aquele a quem Cristo disse: 'Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja' (Mt 16, 18)".

Papa Bento XVI.
Discurso durante o encontro com os jovens no parque de Błonia. Cracóvia, 27 de Maio de 2006.

Visite nosso canal no YouTube!

Visite nosso canal no YouTube!
Clique na imagem

domingo, 11 de janeiro de 2009

Todo batizado é filho adotivo de Deus, diz Papa

Na festa do Batismo do Senhor, o Papa Bento XVI presidiu esta manhã, 11, na Capela Sistina, à Celebração Eucarística durante a qual administrou o sacramento do Batismo a treze crianças. Em sua homilia, o Santo Padre explicou que se o Natal e a Epifania servem, sobretudo, a nos tornar capazes de ver, de abrir os olhos e o coração ao mistério de um Deus que vem estar conosco, a festa do Batismo de Jesus nos introduz à cotidianidade de uma relação pessoal com Ele. De fato, mediante a imersão nas águas do Jordão, Jesus se uniu a nós. O Batismo é, por assim dizer, a ponte que Ele construiu entre ele e nós, o caminho através do qual Ele se torna acessível; é o arco-íris divino sobre a nossa vida, a porta da esperança e, ao mesmo tempo, o sinal que nos indica o caminho a percorrer de modo ativo e alegre para encontrá-Lo e sentirmo-nos amados por Ele. Significado do BatismoO Batismo, explicou o Papa, comporta restituir a Deus o que veio d'Ele: "A criança não é propriedade dos pais, mas é confiada à sua responsabilidade pelo Criador, para que a ajudem a ser um livre filho de Deus. Somente se os pais amadurecerem esta consciência, poderão encontrar o justo equilíbrio entre a pretensão de poder dispor dos próprios filhos como se fossem propriedade privada, plasmando-os com base nas próprias idéias e desejos, e a atitude de liberdade, que se expressa em deixá-los crescer em plena autonomia".Com este sacramento, continuou o Papa, o neobatizado se torna filho adotivo de Deus, por isso é preciso ensinar-lhe a reconhecer Deus como seu Pai e a relacionar-se com Ele como filho."Portanto, quando as crianças são batizadas, introduzindo-as na luz de Deus e dos seus ensinamentos, não estamos exercitando violência, mas doando a elas a riqueza da vida divina na qual se funda a verdadeira liberdade que é própria dos filhos de Deus; uma liberdade que deverá ser educada e formada com o passar dos anos, para que se torne capaz de escolhas pessoais responsáveis", afirmou.Aos paisDirigindo-se aos pais, o Papa recordou que o sacramento do Batismo introduz as crianças em uma nova família, maior e mais estável, mais aberta e mais numerosa do que o núcleo familiar. Esta nova família é a família dos fiéis, da Igreja, uma família cujo Pai é Deus e na qual todos se reconhecem irmãos em Jesus Cristo. A preocupação dos pais deve ser educar as crianças na fé, ensinar-lhes a rezar e a crescer, como fazia Jesus, em sabedoria, idade e graça diante de Deus e dos homens.Com o Batismo, concluiu Bento XVI, não nos emergimos simplesmente nas águas do Jordão para proclamar o nosso empenho de conversão, mas se efunde sobre nós o sangue redentor do Cristo, que nos purifica e nos salva. "É o Filho do Pai que nos reconquista a dignidade e a alegria de sermos realmente 'filhos' de Deus."Seguiu-se, então, o rito próprio do Batismo, a invocação a Deus para destruir o poder do mal e libertar as crianças do pecado original, dando-lhes "luz infinita". Um a um, os bebês foram levados diante do Papa, que derramou a água sobre suas cabeças, como símbolo da purificação. Os recém-nascidos, nove meninos e cinco meninas, eram todos filhos de funcionários do Vaticano.
Fonte: Canção Nova.

Nenhum comentário:

Página no facebook

Página no facebook
Curta nossa página no facebook, clique na imagem acima!