"Por isso, digo-vos: não tenhais medo de construir a vossa vida na Igreja e com a Igreja! Sede orgulhosos do amor a Pedro e à Igreja que lhe foi confiada. Não vos deixeis enganar por aqueles que desejam opor Cristo à Igreja! Só existe um rochedo sobre o qual vale a pena construir a própria casa. Esta rocha é Cristo. Só há uma pedra sobre a qual vale a pena fundamentar tudo. Esta pedra é aquele a quem Cristo disse: 'Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja' (Mt 16, 18)".

Papa Bento XVI.
Discurso durante o encontro com os jovens no parque de Błonia. Cracóvia, 27 de Maio de 2006.

Visite nosso canal no YouTube!

Visite nosso canal no YouTube!
Clique na imagem

domingo, 16 de agosto de 2009

Papa afirma que pela Eucaristia o homem participa da divindade

O Papa Bento XVI rezou, neste domingo,16, a oração mariana do Ângelus com os fiéis e peregrinos presentes no pátio da Residência Apostólica de Castel Gandolfo. No seu discurso antes da oração, o Santo Padre recordou que, neste sábado, 15, em diversos países, foi celebrada a grande festa da Assunção de Nossa Senhora ao céu, e que no Evangelho deste domingo lemos as palavras de Jesus: “Eu sou o pão vivo, descido do céu” (Jo 6,51).“Não podemos ficar indiferentes a essa correspondência, que roda ao redor do símbolo do “céu”: Maria foi elevada ao lugar de onde o seu Filho tinha descido”, disse Bento XVI.O Santo Padre continuou refletindo que “Jesus se apresenta como o 'pão vivo', isto é, o alimento que contém a vida de Deus e é capaz de comunicá-la a quem Dele come. Ele diz: 'Se alguém come deste pão viverá eternamente e o pão que eu darei é a minha carne para a vida do mundo'”. A seguir, Bento XVI pergunta: "de quem o Filho de Deus recebeu a sua carne, a sua humanidade concreta e terrena?".“Ele recebeu da Virgem Maria. Deus recebeu dela o corpo humano para entrar na nossa condição mortal. Por sua vez, no fim da existência terrena, o corpo da Virgem foi elevado ao céu por Deus e entrou na condição celeste. É uma espécie de intercâmbio, no qual Deus tem sempre a plena iniciativa, mas, em certo sentido, tem também necessidade de Maria para preparar a matéria do seu sacrifício: o corpo e o sangue, a ser oferecido na Cruz como instrumento de vida eterna e, no sacramento da Eucaristia, como alimento e bebida espirituais"."Caros irmãos e irmãs o que se verificou em Maria, vale também para cada homem e cada mulher. A cada um de nós Deus pede para acolhê-Lo, de colocar a disposição o nosso coração e o nosso corpo, a nossa inteira existência, para que Ele possa habitar no mundo”, acrescentou o Papa.O Santo Padre também afirma que o convite também é para hoje de nos unirmos a Ele no sacramento da Eucaristia, "para formar junto com a Igreja, Pão repartido para a vida do mundo".“E se nós dizemos sim, como Maria, na mesma medida desse nosso sim, ocorre também para nós e em nós aquele misterioso intercâmbio: somos admitidos na divindade Daquele que assumiu a nossa humanidade”.“A Eucaristia é o meio, o instrumento deste recíproco transformar-se, que tem sempre Deus como fim e como ator principal. Ele é a Cabeça e nós os membros, Ele é a Videira, nós os ramos. Quem come deste Pão e vive em comunhão com Jesus, deixando-se transformar por Ele e Nele, é salvo da morte eterna: morre como todos, participando também do mistério da paixão e da cruz de Cristo, mas não é mais escravo da morte, e ressuscitará no último dia, para desfrutar da festa eterna com Maria e com todos os Santos”, continuou Bento XVI.Ao concluir, o Santo Padre afirmou que “este mistério de vida eterna começa já aqui: é mistério de fé, de esperança e de amor, que se celebra na liturgia, especialmente eucarística, e se exprime na comunhão fraterna e no serviço ao próximo. Rezemos à Virgem Santa, a fim de que nos ajude a nutrirmos sempre com fé do Pão da vida eterna para experimentar já na terra a alegria do Céu”. Saudação em portuguêsAntes de se despedir dos presentes em Castel Gandolfo, Bento XVI saudou os diversos grupos de fiéis em suas respectivas línguas, inclusive em português:“Saúdo os jovens brasileiros da Comunidade Missionária Villareggia e demais peregrinos de língua portuguesa que quiseram participar neste momento diário de louvor e gratidão ao Verbo divino, que Se fez homem no seio da Virgem Maria para ficar conosco todos os dias, até ao fim do mundo. Deixai Cristo tomar posse da vossa vida, para serdes cada vez mais vida e presença de Cristo!”. Falando em francês, o Santo Padre fez uma particular saudação a um grupo de jovens africanos e um apelo à solidariedade em prol de todas aquelas pessoas que se encontram materialmente ou espiritualmente em dificuldade.
Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

Um comentário:

Reninha disse...

Se há momento em que é certo a santidade em nós, esse momento é quando recebemos a Sagrada Eucaristia!
Deus abençoe você, seu blog é muito interessante!

Página no facebook

Página no facebook
Curta nossa página no facebook, clique na imagem acima!