"Por isso, digo-vos: não tenhais medo de construir a vossa vida na Igreja e com a Igreja! Sede orgulhosos do amor a Pedro e à Igreja que lhe foi confiada. Não vos deixeis enganar por aqueles que desejam opor Cristo à Igreja! Só existe um rochedo sobre o qual vale a pena construir a própria casa. Esta rocha é Cristo. Só há uma pedra sobre a qual vale a pena fundamentar tudo. Esta pedra é aquele a quem Cristo disse: 'Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja' (Mt 16, 18)".

Papa Bento XVI.
Discurso durante o encontro com os jovens no parque de Błonia. Cracóvia, 27 de Maio de 2006.

Visite nosso canal no YouTube!

Visite nosso canal no YouTube!
Clique na imagem

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Intenções de oração do Papa para o mês de outubro

Nas intenções de oração para o mês de outubro, quando a Igreja dedica às missões, o Papa Bento XVI destaca a importância da Missa Dominical e do trabalho missionário. Em sua intenção geral, o Santo Padre pede para que "o domingo seja vivido como o dia em que os cristãos se reúnem para celebrar o Senhor ressuscitado, participando do banquete da Eucaristia". Já em sua intenção missionária, Bento XVI reza para que "todo o Povo de Deus, a quem foi confiado por Cristo o compromisso de ir e pregar o Evangelho a toda criatura, assuma com afinco a própria responsabilidade missionária e a considere como o mais alto serviço que pode oferecer à humanidade".

Fonte: Canção Nova

Dom Odilo é nomeado para o Pontifício Conselho para a Família

O Papa Bento XVI nomeou o Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, como membro do Pontifício Conselho para a Família. A nomeção foi divulgada através do boletim da Santa Sé, nesta quarta-feira, 30.

Dom Odilo, que é natural de Cerro Largo (RS), foi nomeado por Bento XVI Arcebispo de São Paulo, no dia 21 de março de 2007, e cardeal, no Consistório Ordinário Público, de 24 de novembro de 2007.

Atualmente é membro do Conselho Permanente da CNBB, da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé, da Pontifícia Comissão de Vigilância sobre o Instituto para as Obras de Religião (IOR), da Congregação para o Clero e do Conselho do Sínodo dos Bispos.

O Pontifício Conselho para a Família foi instituido pelo Papa João Paulo II em 1981. Este organismo da Santa Sé é responsável pela promoção da Pastoral da Família, aplicando os ensinamentos e orientações do Magistério da Igreja para ajudar as famílias cristãs a cumprir sua missão educativa e apostólica.

Fonte: Canção Nova

terça-feira, 29 de setembro de 2009

O aborto é contra à lei natural e lei divina, diz Dom Orlando


“Salientamos o valor da vida em todas as suas dimensões”. Esta é a proposta apresentada no material de divulgação da Semana Nacional da Vida, que tem início nesta quinta-feira, 1º, com encerramento no Dia do Nascituro, na terça-feira, 8. O presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da CNBB, Dom Orlando Brandes, explica que a primeira finalidade da Semana é a defesa da vida humana desde o útero materno. O bispo assume a posição “bem clara antiabortista” do evento e afirma que a vida é um direito essencial de qualquer ser humano. “O aborto é contra à lei natural, além de ser contra à lei divina", destaca. Dom Orlando esclarece ainda que a reflexão se estende a todas as fases e realidades que podem atingir o ser humano: “Como temos que ser responsáveis pela vida humana, em todos os seus estágios, nós também falamos dos mandamentos do motorista, da ecologia, mutirão de combate à fome, dessa Campanha da CNBB, em parceria com o Ministério da Saúde, para que as pessoas façam o quanto antes exames do vírus da AIDS”. De acordo com o bispo, esta Semana também pretende despertar para questões políticas devido aos diversos projetos, em tramitação no Congresso Nacional, que envolvem a vida e a dignidade humanas, como os projetos de lei favoráveis ao aborto e à manipulação de células-tronco embrionárias. Dom Orlando afirma que muitos são os sofrimentos causados às mulheres devido à prática do aborto, como observado no atendimento prestado pela Pastoral da Mulher Marginalizada a estas mulheres. “Nós queremos também respeitar o instinto da maternidade tão natural e forte. O aborto, portanto, prejudica duas vidas: a vida criança que é eliminada e a vida da mãe que é prejudicada”, ressalta o bispo. O presidente da Comissão Episcopal enfatiza ainda que o aborto não deve ser praticado em nenhuma circunstância, mesmo em casos de anencefalia. “Também somos contrários mesmo ao aborto de fetos anencéfalos. Mesmo assim tem o direito de nascer porque é vida humana, porque já é um ser humano e não nos cabe, ou à medicina ou aos políticos, decidir sobre a vida”. A Semana Nacional da Vida foi lançada na 43ª Assembleia da CNBB, realizada em Itaici, no ano de 2005, quando os bispos convidaram os fiéis e toda a sociedade a se empenharem na defesa e promoção da vida. A Declaração sobre Exigências Éticas em Defesa da Vida, fruto da Assembleia, sugeriu que toda a Igreja no Brasil refletisse sobre o tema através da realização de celebrações, cursos, encontros e seminário de bioética.
Fonte: Canção Nova

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Papa destaca encontro ecumênico, com acadêmicos e jovens

O Papa Bento XVI concluiu nesta segunda-feira, 28, sua viagem apostólica à República Tcheca. No discurso de despedida, no aeroporto de Praga, o Santo Padre agradeceu pela generosa hospitalidade durante sua breve permanência no país e recordou os diversos momentos de sua visita, fazendo questão de sublinhar, especialmente, o encontro ecumênico, o encontro com os acadêmicos e com os jovens.

“O encontro com as outras comunidades cristãs trouxe-me ao espírito a importância do diálogo ecumênico nesta terra que muito sofreu com as consequências da divisão religiosa nos tempos da Guerra dos Trinta Anos. Muito se fez já para cicatrizar as feridas do passado e têm-se dado passos decisivos no caminho da reconciliação e da verdadeira unidade em Cristo”, destacou.

E precisamente, "para consolidar mais ainda estes sólidos alicerces", prosseguiu Bento XVI, "a comunidade acadêmica tem um importante papel a desempenhar, através de uma busca da verdade, livre de qualquer compromisso. Foi com prazer que tive a oportunidade de me deter com representantes das universidades do país, exprimindo a minha estima pela nobre vocação a que dedicam a sua vida".

Finalmente, uma referência muito particular ao encontro com os jovens, por ocasião da Missa celebrada no dia de São Venceslau. "Foi com muito gosto que me encontrei com os jovens, para os encorajar a edificarem sobre o melhor das tradições desta nação, particularmente da sua herança cristã", disse o Papa.

E Bento XVI concluiu as suas palavras de despedida de Praga citando uma frase atribuída ao escritor Franz Kafka: "O que mantém a capacidade de ver a beleza nunca envelhece". "Se os nossos olhos permanecerem despertos para a beleza da Criação divina e os nossos espíritos para a sua verdade, temos então a esperança de permanecer jovens e de construir um mundo que reflita algo da beleza divina, inspirando as gerações futuras a fazerem outro tanto", concluiu o Papa.

O Papa encerrou seu discurso de despedida invocando o Menino Jesus de Praga, a fim de que continue inspirando e conduzindo o presidente Klaus e todas as famílias da nação tcheca. "Que Deus a todos vos abençoe!", concluiu.

Concluída a cerimônia, às 18h15 locais (13h15 do Brasil), o Airbus A319, com o Papa e comitiva a bordo, deixou o aeroporto de Praga com destino ao aeroporto romano Ciampino, onde deverá chegar por volta das 20h locais (15h do Brasil).

Em seguida, o Santo Padre prosseguirá de automóvel para a residência pontifícia de Castel Gandolfo, concluindo assim a sua 13º viagem apostólica internacional, que teve como lema "O amor de Cristo é a nossa força".

Fonte: Canção Nova

domingo, 27 de setembro de 2009

Quem pode salvar o homem senão Deus?, reflete Bento XVI

“O homem tem necessidade de ser libertado das opressões materiais e, mais profundamente, dos males que afligem o espírito. E quem pode salvá-lo senão Deus, que é Amor e revelou o seu rosto de Pai onipotente e misericordioso em Jesus Cristo?”. Essa foi a reflexão do Papa Bento XVI neste domingo, 27, na Santa Missa celebrada no Aeroporto Tuřany, em Brno, a segunda cidade mais importante da República Tcheca.

O Santo Padre deslocou-se à cidade logo cedo (8h45 local) para encontrar os fiéis e peregrinos, cerca de 120 mil, e com eles celebrar a Missa e, em seguida, a oração do Ângelus.

Em sua homilia, o Papa falou sobre a esperança, partindo das palavras de Jesus, escritas em grandes letras no pórtico da Catedral de Brno: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. O Pontífice disse ter acolhido a sugestão do bispo local para falar sobre a esperança, pensando não só no povo deste país, mas também na Europa e em toda a humanidade, “que tem sede de algo sobre que o apoiar solidamente o próprio futuro”.

“A experiência da história mostra a que absurdos chega o homem quando exclui Deus do horizonte das suas opções e ações. E mostra também que não é fácil construir uma sociedade inspirada nos valores do bem, da justiça e da fraternidade, porque o ser humano é livre e a sua liberdade permanece frágil. A liberdade tem que ser constantemente reconquistada. Trata-se de uma tarefa que toca a todas as gerações”, apontou Bento XVI.

Detendo-se sobre a realidade do mundo contemporâneo, o Papa destacou:

“O vosso país, como outras nações, está vivendo uma condição cultural que muitas vezes constitui um radical desafio para a fé e portanto também para a esperança. De fato, na época moderna, tanto a fé como a esperança foram como que acantonadas, relegadas para o plano privado e ultra-terreno, ao passo que na vida concreta e pública se afirmou a confiança no progresso científico e econômico”.

Mas o fundamento da fé e da esperança, sublinhou Bento XVI, permanece sempre e só o Amor de Deus revelado e comunicado em Jesus Cristo:

“O homem tem necessidade de ser libertado das opressões materiais e, mais profundamente, dos males que afligem o espírito. E quem pode salvá-lo se não Deus, que é Amor e revelou o seu rosto de Pai onipotente e misericordioso em Jesus Cristo? A nossa firme esperança é portanto Cristo: n’Ele Deus nos amou até ao extremo e nos deu a vida em abundância, aquela vida que cada pessoa, por vezes até mesmo inconscientemente, aspira a possuir”.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

sábado, 26 de setembro de 2009

No rosto de cada pessoa brilha a imagem de Deus, diz Bento XVI

Depois de deixar o aeroporto, o Papa Bento XVI se dirigiu à Igreja de Santa Maria da Vitória onde se encontra a imagem do "Menino Jesus de Praga". O Santo Padre rezou na capela do Menino Jesus e a seguir, saudou as autoridades civis e religiosas, os fiéis e as famílias ali presentes. O Papa coroou a famosa imagem do Menino Jesus de Praga. Em seu discurso, Bento XVI disse que o Menino Jesus de Praga lembra com a ternura de sua infância a proximidade de Deus e seu amor pelos homens e frisou que "cada ser humano é filho de Deus e nosso irmão e deve ser respeitado e acolhido. Possa a nossa sociedade compreender esta realidade. A pessoa humana deve ser valorizada não por aquilo que tem, mas por aquilo que é, porque no rosto de cada pessoa, sem distinção de raça e cultura, brilha a imagem de Deus." O Pontífice ressaltou, também, que o Menino Jesus de Praga recorda o "mistério da encarnação, o Deus Onipotente que se fez homem, e viveu durante 30 anos no seio da humilde família de Nazaré". O Papa disse ainda, que a imagem do Menino Jesus recorda as famílias ali presentes e todas as famílias espalhadas pelo mundo, além das alegrias e dificuldades que enfrentam. E acrescentou: "Pensemos especialmente naqueles jovens, que fazem muitos esforços a fim de dar a seus filhos segurança e um futuro digno. Rezemos pelas famílias em dificuldades, por aquelas marcadas pela doença e pela dor, por aquelas que estão em crise, desunidas ou dilaceradas pela discórdia e pela infidelidade. Confiamos todas as famílias ao Menino Jesus de Praga, sabendo quanto é importante a estabilidade e a concórdia familiar em vista do progresso da sociedade e para o futuro da humanidade." O Papa lembrou ainda a predileção de Jesus pelas crianças e recordou aquelas que estão doentes, que não são amadas, acolhidas e respeitadas. O Santo Padre lembrou ainda as crianças que são vítimas de violência e de toda forma de exploração, e fez um apelo para que sejam respeitadas. "As crianças são o futuro e a esperança da humanidade, frisou o Pontífice. Enfim, o Santo Padre pediu às crianças para que rezem por seus pais, parentes, professores, amigos e também por ele e invocou sobre todos a bênçãos do Menino Jesus de Praga, da Virgem Maria e São José.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Papa aponta solução para problemas no matrimônio

"É firme a convicção da Igreja que os problemas atuais, que encontram os casais e debilitam a sua união, têm a sua verdadeira solução num regresso à solidez da família cristã, lugar de confiança mútua, de dom recíproco, de respeito da liberdade e de educação para a vida social". Esta foi a afirmação do Papa Bento XVI, nesta manhã, em discurso aos Bispos brasileiros dos regionais Nordeste 1 e 4 da CNBB. Os líderes católicos estão em Roma, cumprindo visita "ad Limina", encontro obrigatório dos bispos com o Papa, a cada cinco anos.
Bento XVI centrou o discurso na família e fez um alerta aos Bispos quanto às "forças" e "vozes" que na sociedade atual "parecem apostadas em demolir o berço natural da vida humana". O Papa recordou que, durante a visita, os Bispos falaram repetidamente sobre situações de assédio à família, mas disse que é confortante perceber que, apesar de todas as influências negativas, o povo nordestino continua aberto ao "Evangelho da Vida".
No momento em que tramita no Congresso Nacional um projeto de lei sobre o divórcio instantâneo, o tema da separação conjugal chamou a atenção do papa. "A Igreja não pode ficar indiferente diante da separação dos cônjuges e do divórcio, diante da ruína dos lares e das conseqüências criadas pelo divórcio nos filhos".
Para Bento XVI os filhos precisam de pais determinados e convictos do papel educador. "É este princípio que a prática do divórcio está minando e comprometendo com a chamada família alargada e móvel, que multiplica os 'pais' e as 'mães' e faz com que hoje a maioria dos que se sentem 'órfãos' não sejam filhos sem pais, mas filhos que os têm em excesso".
O Papa pediu aos padres que acompanhem as famílias para que elas "não sejam iludidas e seduzidas por certos estilos de vida relativistas, que as produções cinematográficas e televisivas e outros meios de informação promovem".
Ao final do discurso, Bento XVI indicou 3 passos de ajuda às famílias. "A oração, pedra angular de todo lar fiel à sua própria identidade e missão; a laboriosidade, eixo de todo matrimônio maduro e responsável; o silêncio, cimento de toda a atividade livre e eficaz".

Fonte: Canção Nova

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Bento XVI visitará Santuário de Fátima no próximo ano

O Papa Bento XVI visitará Portugal no próximo ano, em resposta ao convite feito pelo presidente do país, Aníbal Cavaco Silva. O anúncio foi feito pela presidência de Portugal, quando informou que, além do programa oficial, o Papa visitará o Santuário Mariano de Fátima, onde irá presidir às cerimônias religiosas de 13 de Maio. O convite a Bento XVI foi feito na visita de Cavaco Silva ao Vaticano, em junho deste ano. A possibilidade dessa visita foi cogitada no último dia 10 de setembro, em Fátima, pelo porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, que destacou o "desejo" de Bento XVI de ir à cidade.
Padre Lombardi afirmou que o Papa "ama os Santuários marianos" e recordou alguns dos que ele já visitou em suas viagens apostólicas, como em Aparecida, no Brasil, e Lourdes, na França. Enquanto Cardeal, o atual Papa presidiu, em Fátima, a Peregrinação Internacional Aniversária de Outubro de 1996. O Bispo de Leiria-Fátima, Dom António Marto, e o Reitor do Santuário de Fátima, Padre Virgílio Antunes, manifestaram hoje, 24, a alegria que sentem pela vontade do Santo Padre em estar em Fátima, dez anos após a visita de João Paulo II. Esta será a quinta viagem de um Papa à Fátima, depois das passagens de Paulo VI (1967) e de João Paulo II (1982, 1991 e 2000), que cultivou uma relação especial com o Santuário após o atentado de que foi vítima em 13 de maio de 1981, na Praça de São Pedro, no Vaticano.

Fonte: Canção Nova e Ecclesia

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Termina hoje exposição do corpo de Padre Pio

Nesta quarta-feira, 23, a Igreja celebra a memória de São Pio de Pietrelcina, quando termina a exposição do corpo do santo para veneração dos fiéis, no Santuário de Santa Maria das Graças, em San Giovanni Rotondo, na Itália.

As celebrações em devoção a Padre Pio iniciaram cedo. Já na madrugada desta terça, mais de 10 mil fiéis lotaram o adro da nova Igreja de San Giovanni Rotondo para participar de momentos de oração.

O ministro-geral dos frades capuchinhos, frei Mauro Johriquando, celebrou a Santa Missa, às 2h3
0, quando recordou o dia do falecimento de Padre Pio.

As cerimônias religiosas para o aniversário da morte continuam ho
je. Desde o dia 24 de abril de 2008, mais de cinco milhões e meio de fiéis compareceram à cripta, entre eles, o Papa Bento XVI, que visitou o santuário em 21 de junho do ano passado.

Na noite desta quarta, no final da exposição, a cripta será coberta por painéis feitos pelo artista georgiano Goudji e os restos de Padre Pio permanecerão na cripta de Santa Maria das Graças.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Papa aprova tema do próximo Congresso Eucarístico Internacional

O Comitê para os Congressos Eucarísticos Internacionais divulgou a aprovação, por parte de Bento XVI, do tema e da data do próximo Congresso Eucarístico Internacional. O encontro acontecerá em Dublin, na Irlanda, de 10 a 17 de junho de 2012, e terá como tema: "A Eucaristia: Comunhão com Cristo e entre nós" (The Eucharist: Communion with Christ and with one another). A aprovação foi feita durante a audiência concedida ao secretário de Estado, Cardeal Tarcisio Bertone, no dia 22 de junho. Para o arcebispo da capital irlandesa, Dom Diarmuid Martin, a formulação do tema nasce da coincidência da celebração do 50° Congresso com os 50 anos da inauguração do Concílio Vaticano II, que, segundo ele, "foi um momento de renovação e de aprofundamento do ensinamento da Igreja e da sua autocompreensão como Corpo de Cristo e Povo de Deus". O tema é inspirado no número 7 da Constituição Lumen Gentium. "Esperemos que a reunião da Igreja em Dublin em 2012 ajude a compreender a Eucaristia como verdadeira e pessoal comunhão com Jesus Cristo e redescobrir a fisionomia essencialmente eucarística de toda comunidade cristã", destacou ainda o arcebispo. No entanto, na capital irlandesa já foi instalado o Comitê local que se ocupará da elaboração do texto teológico de base e da preparação do evento. Para mais informações, acesse o site: www.iec2012.ie

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

"Eu vivi intensamente os meus 60 anos", diz Dom Odilo

O Arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, completa, nesta segunda-feira, 21, 60 anos de idade. Uma Missa em ação de graças foi celebrada neste domingo, 20, na Catedral da Sé, na capital paulista para o arcebispo que, há dois anos, está à frente da Arquidiocese de São Paulo. Nesta entrevista, o cardeal fala sobre os seus 60 anos e considera que os viveu intensamente. "Eu espero ainda viver muitos anos", complementa o arcebispo. Dom Odilo declara também que não esperava assumir a Arquidiocese de São Paulo, algo que estaria fora de sua "imaginação". Ao comentar sobre seu papel como Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo ressalta que os anos de estudos e de atividades exercidas em Roma contribuíram para assumir a missão. "Temos que confiar também que Deus dá a graça da ajuda necessária para poder desempenhar bem a missão", acrescenta o arcebispo, que recorda os seus primeiros meses à frente da Arquidiocese, quando acolheu o Papa Bento XVI, em sua visita ao Brasil, no ano de 2007.

Pedro Teixeira
Canção Nova Noticias, SP

Bispo denuncia massacre anti-cristã no Sudão e pede ajuda internacional

O Bispo de Tombura-Yambio (sul do Sudão), Dom Eduardo Hiiboro Kussala, denunciou um massacre anti-cristão neste país aonde nos últimos dias a guerrilha seqüestrou a 20 pessoas assassinando 7.

Em declarações à organização católica Ajuda à Igreja Necessitada (AIN), o Prelado explicou que para deter os ataques do "Lord Resistance Army" (Exército da Resistência do Senhor) necessita-se definitivamente a ajuda internacional, depois da irrupção deste grupo em uma igreja de sua diocese aonde seqüestraram 17 jovens.

Logo do ataque à Igreja Nossa Senhora da Paz na localidade de Ezo, um dos jovens que tinha sido seqüestrado foi encontrado morto amarrado a uma árvore e mutilado. Do grupo cativo, três puderam liberar-se o dia seguinte.

Menos de uma semana depois desse incidente, perto de outro povado, Nzara, seis pessoas foram introduzidas na zona florestal e cravadas sobre o chão. Os corpos foram encontrados vários dias depois em uma "espécie de cena de crucificação", explica a nota da AIN. Em Nzara, outras 12 pessoas foram também seqüestradas.

Como resposta a estes ataques em Ezo e Nzara, Dom Hiiboro animou um especial evento de oração de três dias para cristãos no qual 20 mil pessoas caminharam mais de 5 quilômetros descalços e cobertos de cinzas em protesta contra inação do governo ante a violência.

O Prelado assinalou à AIN que "ninguém vem em nossa ajuda. Pedimos aos responsáveis na comunidade internacional que façam algo sobre este delicado assunto".

Dom Hiiboro descreveu que em Ezo, ao momento do ataque, centenas de pessoas participavam da novena pela Festa da Assunção. "Os criminosos claramente queriam agredir aos que estavam ali porque sabiam que estavam rezando", acrescentou.

Os guerrilheiros perseguiram o pároco, o Pe. Justin, quem teve que fugir e esconder-se na selva até o dia seguinte. "O que aconteceu em agosto foi muito duro para nós. Era muito ter que fazer frente à semelhante risco. Ao final de tudo as pessoas vinham e me rogavam que fizesse algo a respeito: recuperar os seus netos e filhos que tinham desaparecido", assinalou o Bispo.

Ao referir-se aos três dias de oração, o Prelado comentou que pôde reunir a uma surpreendente quantidade de pessoas para "protestar silenciosamente e dizer ao governo que as coisas estão muito mal".

AIN contribui com a Igreja no Sudão de maneira prioritária. Em 2008 outorgou à comunidade local mais de um milhão e meio de euros.

Fonte: ACI

Oração é a alma da atividade pastoral, destaca Bento XVI

O Papa Bento XVI recebeu esta manhã, 21, em Castel Gandolfo, os 120 bispos que estavam reunidos nesses dias, no Vaticano, para o curso organizado pelas Congregações para os Bispos e para as Igrejas Orientais. Em seu discurso, o Santo Padre destacou a necessidade de intensificar a vida de oração, que segundo ele, é a alma da atividade pastoral, e ajudar, com o exemplo, os sacerdotes. Bento XVI recordou que este ano o curso se insere no contexto do Ano Sacerdotal, convocado para promover uma renovação de todos os sacerdotes, de modo que seu testemunho evangélico se torne mais forte e incisivo no mundo de hoje. Citando a exortação pós-sinodal Pastores Gregis, de João Paulo II, Bento XVI falou do elo que une o bispo aos sacerdotes. No dia da ordenação presbiteral, quando o novo presbítero põe suas mãos nas do bispo, ambos assumem uma responsabilidade: o sacerdote se confia ao bispo e este, por sua vez, se empenha em custodiar e promover a identidade sacerdotal dos presbíteros. Identidade que hoje é colocada à prova pela crescente secularização. Portanto, de modo especial, o bispo é chamado a alimentar nos sacerdotes a vida espiritual, para favorecer neles a harmonia entre a oração e o apostolado, observou o Pontífice. O segredo para a fecundidade do ministério presbiteral, afirmou, consiste em permanecer unido ao Senhor. Então advertiu: "A missão de um presbítero e, principalmente, a de um bispo, comporta hoje uma quantidade de trabalho que tende a absorvê-lo continua e totalmente. As dificuldades aumentam e as incumbências se multiplicam. (…) Todavia, a atenção aos problemas jamais deve nos distrair da união íntima e pessoal com Cristo". O tempo que o sacerdote e o bispo consagram a Deus na oração é sempre o melhor aproveitado, disse o Papa, "porque a oração é a alma da atividade pastoral, a linfa que lhe infunde força, é o apoio nos momentos de incerteza e de desencorajamento e a fonte inesgotável de fervor missionário e de amor fraterno por todos". No centro da vida sacerdotal está a Eucaristia, recordou Bento XVI, que concluiu: "Que a Celebração Eucarística ilumine toda a jornada de vocês e de seus sacerdotes, imprimindo a sua graça e o influxo espiritual nos momentos tristes ou alegres, agitados ou tranqüilos, de ação ou de contemplação. (…) Com a Palavra e os Sacramentos, São João Maria Vianney edificou o seu povo".

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

domingo, 20 de setembro de 2009

Papa denuncia falta de respeito pela verdade

O Papa Bento XVI rezou neste domingo, 20, a oração mariana do Ângelus com os fiéis e peregrinos reunidos no pátio interno da Residência Apostólica de Castel Gandolfo. Nas palavras que precederam a oração, o Santo Padre denunciou um clima de “difusa tendência à agressividade, ao ódio e à vingança” e uma falta de respeito pela “verdade” e pela “compreensão”.

“Nos nossos dias, talvez também por certas dinâmicas próprias das sociedades de massa, se constata não raramente, uma falta de respeito pela verdade e pela palavra dada, junto com uma difusa tendência à agressividade, ao ódio é à vingança. Para aqueles que fazem obras de paz é semeado na paz um fruto de justiça”, disse o Papa.

Mas para fazer obras de paz, é necessário ser homens de paz, colocando-se na escola da 'sabedoria que vem do alto', para assimilar as qualidades e produzir efeitos. Se cada um, no seu ambiente, conseguisse rejeitar a mentira e a violência nas intenções, nas palavras e nas ações, cultivando com cuidado sentimentos de respeito, de compreensão e de estima para com os outros, talvez não se resolvessem todos os problemas da vida cotidiana, mas os mesmos poderiam ser enfrentados mais serenamente e eficazmente", disse ainda Bento XVI.

E o Papa se perguntou: “Porque não buscar na fonte incontaminada do amor de Deus a sabedoria do coração, que nos desintoxica dos lixos da mentira e do egoísmo? Isso vale para todos, mas, em primeiro lugar, para quem é chamado a ser promotor e 'tecelão' de paz nas comunidades religiosas e civis, nas relações sociais e políticas e nas relações internacionais”.

Momentos antes, o Papa tomando como referência um trecho da Carta de Tiago, proposto pela Liturgia de hoje, chamou a atenção para a verdadeira sabedoria, que o Apóstolo contrapõe à falsa sabedoria: essa última é “terrestre, material e diabólica” e se reconhece pelo fato que provoca ciúmes, conflitos, desordens e todo tido de más ações. Ao contrário, “a sabedoria que vem do alto é antes de tudo pura, pacífica, modesta, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial e sincera”. Em seguida, o Santo Padre rezou a oração mariana do Ângelus e concedeu a todos a sua Benção Apostólica.

Antes de se despedir dos fiéis e peregrinos presentes nesta manhã em Castel Gandolfo, o Pontífice recordou as numerosas situações de conflito que existem no mundo e as trágicas notícias que nos chegam todos os dias de vítimas, seja entre militares, seja entre os civis. "São fatos com os quais jamais podemos nos acostumar e que suscitam profunda reprovação, como também desconcerto nas sociedades que desejam o bem da paz e da civil convivência", disse Bento XVI.

E o Papa recordou então o atentado dos últimos dias no Afeganistão contra os militares italianos que causou a morte de seis deles e de vários civis, provocando profunda dor:

“Uno-me com a oração, ao sofrimento dos familiares e das comunidades civis e militares e, ao mesmo tempo, penso com igual sentimento de participação nos demais contingentes internacionais, que também recentemente tiveram perdas e que trabalham para promover a paz e o desenvolvimento das instituições, tão necessárias para a coexistência humana. A todos asseguro a minha recordação diante do Senhor, com um particular pensamento às queridas populações civis. Por todos elas convido a elevar a Deus a nossa oração”.

O Papa renovou ainda o seu encorajamento à promoção da solidariedade entre as nações para contrastar a lógica da violência e da morte, favorecer a justiça, a reconciliação, a paz e apoiar o desenvolvimento dos povos partindo do amor e da compreensão recíproca, como o próprio Bento XVI escreveu na sua recente Encíclica Caritas in veritate.

Visita à República Tcheca

O Santo Padre recordou ainda que no próximo sábado, 26, até a segunda-feira, 28, estará realizando uma viagem apostólica à República Tcheca. O Papa informou que além de Praga, visitará as cidades de Brno, na Morávia, e a de Stará Boleslav, lugar do martírio de São Venceslau, padroeiro principal daquela nação, acrescentando:

“A República Tcheca se encontra geografica e historicamente no coração da Europa e, depois de ter passado através dos dramas do século passado, tem necessidade, como também todo o continente, de reencontrar as razões da fé e da esperança. Seguindo as pegadas de meu amado predecessor João Paulo II, que visitou aquele país três vezes, eu também prestarei homenagem às heróicas testemunhas do Evangelho, antigas e recentes, e encorajarei todos a continuarem na caridade e na verdade. Agradeço desde já todos aqueles que me acompanharão com as suas orações nesta viagem, para que o Senhor a abençoe e a mesma produza frutos”.

Já na sua saudação em língua polonesa o Santo Padre recordou que neste domingo, na Polônia, se celebra o Dia dos Meios de Comunicação Social. "Nesta ocasião, dirijo particulares palavras de apreço e de reconhecimento às redações católicas dos meios de comunicação na Polônia, que festejam o 20º aniversário de suas atividades. Desejo a todos os operadores do setor das comunicações sociais que propaguem uma cultura de respeito, de diálogo e de amizade. Que o seu fundamento seja Cristo e o seu Evangelho”, concluiu Bento XVI.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

Cardeais se preparam para Sínodo dos bispos do Oriente Médio

Após poucas horas do anúncio do Papa Bento XVI sobre a Assembléia Especial do Sínodo dos Bispos para o Oriente Médio, que se realizará, no Vaticano, de 10 a 24 de outubro de 2010, se reunirá, pela primeira vez, o Conselho Pré-sinodal, na sede da Secretaria Geral do Sínodos dos Bispos no Vaticano. “Dois dias de trabalhos, segunda-feira, dia 21 e terça-feira, 22 de setembro, para dar início à máquina organizativa que deverá trabalhar intensamente porque é pouco o tempo”, disse o secretário geral, o Arcebispo Dom Nikola Eterovic. Participarão da reunião os cardeais Ivan Dias, Walter Kasper, Jean-Louis Tauran e Leonardo Sandri junto com os Patriarcas Nasrallah Pierre Sfeir, Emmanuel iii Delly, Antonios Naguib, Gregorios III Laham, Nerses Bedros XIX Tarmouni e Fouad Twal. O Patriarca Ignace Youssef III Younan designou como seu representante, Dom Jules Mikhael Al-Jamil. Estarão ainda presentes o presidente da Conferência Episcopal do Irã, o Arcebispo Dom Ramzi Garmou, o presidente da Conferência Episcopal da Turquia, Dom Luigi Padovese, e alguns peritos. O anúncio do Sínodo para o Oriente Médio, explica ainda o secretário geral, “não é uma grande surpresa. Há anos os pastores daquela região refletiam sobre a oportunidade de convocá-lo". Na ordem do dia do encontro de segunda e terça-feira, estão as indicações do Papa sobre perspectivas de diálogo para uma convivência pacífica naquela região, levando em consideração a realidade de cada pais.

Fonte: Rádio Vaticano

sábado, 19 de setembro de 2009

Papa Bento XVI recebe sete patriarcas orientais

O Papa Bento XVI recebeu em audiência na manhã deste sábado, 19, em Castel Gandolfo, sete patriarcas orientais católicos.

Trata-se do patriarca maronita, Cardeal Nasrallah Pierre Sfeir, do patriarca de Cilícia dos Armênios, Sua Beatitude Nerses Bedros XIX Tarmouni, do patriarca dos Sírios de Antioquia, Sua Beatitude Ignace Youssef III Younan, do patriarca caldeu, Cardeal Emmanuel III Delly, do patriarca de Antioquia dos Greco-melquitas, Gregorio III Laham, do patriarca latino de Jerusalém, Dom Fouad Twal, e do patriarca copta, Antonios Nagib.

No seu discurso o Papa deu graças a Deus pelo encontro que lhe permitiu poder ouvir a voz das igrejas que os patriarcas servem com admirável abnegação, e reforçar os vínculos de comunhão que os ligam à Sé Apostólica.

Bento XVI destacou que o encontro desta manhã responde ao desejo de tornar cada vez mais sólida a comunhão das suas Igrejas com o Sucessor de Pedro e de examinar juntos, eventuais temas de particular importância.

O Papa sublinhou também o papel particular do oriente católico no diálogo ecumênico e inter-religioso, pois o horizonte ecumênico é muitas vezes ligado ao inter-religioso. Nestes dois âmbitos toda a Igreja tem a necessidade de vivenciar a convivência que as igrejas orientais amadureceram desde o primeiro milênio cristão.

Em seguida o Santo Padre afirmou que no fraterno encontro, emergiram dos discursos proferidos, problemáticas que causam preocupações e que poderão encontrar orientações adequadas nas sedes competentes.

“Não esqueço, em particular, o apelo de paz que os senhores colocaram em minhas mãos na conclusão da Assembléia do Sínodo dos Bispos no último mês de outubro. E, falando de paz, o meu pensamento vai, em primeiro lugar, às regiões do Oriente Médio. Aproveito a ocasião para dar o anúncio da Assembléia Especial do Sínodo dos Bispos para o Oriente Médio, por mim convocada e que se realizará de 10 a 24 de outubro de 2010, sobre o tema, ”A Igreja católica no Oriente Médio: comunhão e testemunho: “A multidão dos que haviam acreditado era um só coração e uma só alma.” (At 4,32).

O Papa concluiu suas palavras invocando a materna intercessão de Maria Santíssima, concedendo a Benção Apostólica a todas as Igrejas Orientais Católicas.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Bento XVI recebe líder do Patriarcado de Moscou

O Papa Bento XVI recebeu nesta sexta-feira, 18, em Castel Gandolfo, o presidente do Departamento das Relações Eclesiásticas Exteriores do Patriarcado de Moscou, Arcebispo Hilarion.

Esta é a primeira visita a Roma do arcebispo ortodoxo, após sua nomeação ao atual encargo e, nesta quinta-feira, 17, o líder ortodoxo esteve com o presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, Cardeal Walter Kasper.

Após o encontro, o Cardeal Kasper reiterou que são boas as relações entre Igreja Católica e Patriarcado de Moscou. As duas partes se encontrarão, em outubro, próximo na ilha de Chipre – no leste do mar Mediterrâneo – por ocasião da sessão plenária da Comissão mista internacional para o diálogo teológico entre a Igreja Católica e a Igreja Ortodoxa. Um dos principais temas do encontro será o papel do bispo de Roma na Igreja presente no mundo inteiro.

Ontem à tarde, o arcebispo ortodoxo visitou a Comunidade romana de Santo Egidio participando da oração na Basílica de Santa Maria no Trastevere. Ao término do rito, o Arcebispo Hilarion falou sobre a necessidade do testemunho comum dos cristãos "num mundo descristianizado, numa época que alguém erroneamente a define como pós-cristã", disse ele.

"A sociedade contemporânea, com o seu consumismo, hedonismo, materialismo prático e relativismo moral, lança a todos nós cristãos um desafio sério e difícil", prosseguiu o prelado ortodoxo.

Segundo o representante ortodoxo, o futuro da humanidade e, talvez, a possibilidade de que a vida continue em nosso planeta depende também da nossa resposta de cristãos a esse desafio. É um desafio que nos é lançado e também a nossa resposta deve ser comum.

"Somente juntos poderemos propor ao mundo os valores espirituais e morais da fé cristã. Juntos poderemos oferecer a nossa visão cristã acerca da família, da procriação, de um amor humano feito não somente de prazer; afirmar o nosso conceito de justiça social, de uma mais equânime distribuição dos bens, de um compromisso com a salvaguarda do ambiente, com a defesa da vida humana e da sua dignidade", ressaltou.

"Diante desse desafio comum que o mundo atual nos lança, hoje mais do que nunca nós cristãos devemos estar juntos", concluiu o enviado do Patriarcado de Moscou.

Fonte: Rádio Vatocano.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Bento XVI dirige mensagem ao clero e aos nordestinos do Brasil

O Papa Bento XVI recebeu em audiência, nesta quinta-feira, 17, na residência apostólica de Castel Gandolfo, os bispos do Regional Nordeste 2 da CNBB, que compreendem as províncias eclesiásticas de Olinda e Recife, Paraíba, Maceió e Natal, e concluem amanhã sua visita ad Limina Apostolorum.

O discurso de Bento XVI foi centralizado no papel específico dos sacerdotes e dos leigos na comunidade eclesial. O Papa recordou que a Igreja é organicamente estruturada como Corpo de Cristo; portanto, os membros não têm todos a mesma função: "É isto que constitui a beleza e a vida do corpo".

Nessa perspectiva, afirmou o Santo Padre, é necessário evitar a secularização dos sacerdotes e a clericalização dos leigos, explicando a função específica de cada um:

"Os fiéis leigos devem empenhar-se em exprimir na realidade, inclusive através do empenho político, a visão antropológica cristã e a doutrina social da Igreja. Diversamente, os sacerdotes devem permanecer afastados de um engajamento pessoal na política, a fim de favorecerem a unidade e a comunhão de todos os fiéis e, assim, poderem ser uma referência para todos".

Para o Papa, a relação entre sacerdócio comum e ministerial constitui atualmente um dos pontos mais delicados do ser e da vida da Igreja. A falta de presbíteros, afirmou, não justifica uma participação mais ativa e numerosa dos leigos. "Na realidade, quanto mais os fiéis se tornam conscientes das suas responsabilidades na Igreja, tanto mais sobressaem a identidade específica e o papel insubstituível do sacerdote como pastor do conjunto da comunidade, como testemunha da autenticidade da fé e dispensador, em nome de Cristo-Cabeça, dos mistérios da salvação."

Assim, acrescentou Bento XVI, a função do presbítero é essencial e insubstituível para o anúncio da Palavra e a celebração dos Sacramentos, sobretudo da Eucaristia: "Por isso, urge pedir ao Senhor que envie operários à sua Messe; além disso, é preciso que os sacerdotes manifestem a alegria da fidelidade à própria identidade com o entusiasmo da missão".

O Papa disse aos bispos que a carência de presbíteros não pode ser considerada normal ou típica do futuro, mas eles devem se esforçar para despertar novas vocações sacerdotais e encontrar os pastores indispensáveis às dioceses. Àqueles já ordenados, devem viver com coerência e em plenitude a graça e os compromissos do batismo.

Mais uma vez, neste período em que a Igreja celebra o Ano Sacerdotal, Bento XVI propôs o Santo Cura d'Ars e Frei Galvão como modelos para os presbíteros, pois ambos procuraram imitar Jesus Cristo, fazendo-se não só sacerdote, mas também vítima e oblação como Jesus.

E concluiu: "Que a bem-aventurada Virgem Maria interceda por todo o povo de Deus no Brasil, para que pastores e fiéis possam, com coragem e alegria, 'anunciar abertamente o mistério do Evangelho".

Fonte: Rádio Vaticano

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Papa nomeia novos bispos para Criciúma e Bragança Paulista

O Papa Bento XVI anunciou hoje, 16, a nomeação dos novos bispos para as dioceses de Criciúma, em Santa Catarina, e de Bragança Paulista, no estado de São Paulo. Para a diocese catarinense, vacante desde julho de 2008, o Papa nomeou Dom Jacinto Inácio Flach, 57, transferindo-o da Arquidiocese de Porto Alegre, onde era bispo auxiliar há cinco anos.


Para a Diocese de Bragança Paulista foi nomeado Dom Sérgio Aparecido Colombo, transferido da Diocese de Paranavaí (PR). Dom Sérgio sucederá a Dom José Maria Pinheiro, 71, cujo pedido de renúncia foi aceito por Bento XVI, conforme o Cânon 401 §2 º do Código de Direito Canônico.

Dom Jacinto Inácio Flach

O novo bispo de Criciúma é gaúcho de Bom Princípio. Ordenado padre em 1988, foi nomeado bispo auxiliar de Porto Alegre em novembro 2003 e recebeu a ordenação episcopal em 5 de fevereiro de 2004. Com mestrado em Teologia Espiritual na “Pontifícia Facoltà di Teologia Teresianum”, Dom Jacinto tem como lema episcopal: “Anuncio-vos a misericórdia do Senhor”.

Dom Sérgio Aparecido Colombo

Já dom Sérgio Aparecido, 55, é natural de Cajobi (SP). Recebeu a ordenação presbiteral em agosto de 1980. Foi nomeado bispo auxiliar de São Carlos em outubro de 2001, recebendo a ordenação em janeiro do ano seguinte. Foi auxiliar de São Carlos de 2002 a 2003 e assumiu a diocese de Paranavaí em janeiro de 2004. Tem como lema episcopal: “Como aquele que serve”.


Fonte: CNBB

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Bispos brasileiros recém-nomeados participam de curso em Roma

Tem início hoje, 15, em Roma, o curso para os bispos de recente nomeação, organizado anualmente pela Congregação para os Bispos. Do Brasil, participam 17 bispos.O Secretário de Estado, Cardeal Tarcisio Bertone, presidiu esta manhã, na Basílica Vaticana, a Santa Missa do primeiro dia de trabalho, transmitindo aos novos prelados a saudação e o encorajamento de Bento XVI, que os receberá em audiência na próxima segunda-feira.Na homilia, o cardeal-secretário de Estado citou as palavras de Bento XVI, sábado passado, para a ordenação de cinco bispos, e propôs novamente as características do ministério sacerdotal: a fidelidade, a prudência e a bondade. "Que essas indicações do Sucessor de Pedro sejam para vocês um estímulo para aprofundar o valor do serviço episcopal", afirmou.Comentando a leitura do dia, extraída do 5º Capítulo da Carta aos Hebreus, Cardeal Bertone fez votos de que os bispos sejam santos, como o foi o Santo Cura D'Ars, ou seja, vivendo o ministério episcopal segundo o Coração de Cristo e o coração materno de Maria. Votos que formulou com as palavras do Apóstolo Paulo: "Eu me regozijo nos meus sofrimentos por vós, e completo, na minha carne, o que falta das tribulações de Cristo pelo seu Corpo, que é a Igreja" (Cl 1,24)."O povo cristão necessita ver testemunhas críveis e ser guiado por pastores santos", exortou o cardeal. Citando a frase de São João Crisóstomo, "basta um homem repleto de zelo para transformar um povo", ele concluiu: "Seja este o programa de cada um de nós: ser santos para contagiar com o amor de Deus todos aqueles que são confiados à nossa responsabilidade de pastores do Povo de Deus".
Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Bento XVI recebe bispos da Paraíba

Prossegue a visita ad Limina dos bispos de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, que compõem o Regional Nordeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).Nesta segunda-feira, 14, o Papa Bento XVI recebeu cinco bispos do Estado da Paraíba: o Arcebispo de Paraíba, Dom Aldo di Cillo Pagotto, o Bispo de Cajazeiras, Dom José González Alonso, o Bispo de Campina Grande, Dom Jaime Vieira Rocha, Bispo de Guarabira, Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena, e o Bispo de Patos, Dom Manoel dos Reis de Farias.No grupo, também estava presente o administrador diocesano de Afogados da Ingazeira (PE), reverendo João Acioly.
Fonte: Rádio Vaticano.

domingo, 13 de setembro de 2009

Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, faz 88 anos


Nessa Segunda-Feira(14/09/2009), O Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns comemóra seus 88 anos de vida. Dom Paulo surpreendeu um grupo de amigos, ao qual ofereceu um café da manhã na quinta-feira 10, antecipando a comemoração de seus 88 anos. Disse que para exercitar sua memória, todos os dias, por uma hora tem lido e escrito em grego. E, ainda, que começou a trabalhar num livro sobre dez padres e bispos que mais ajudaram a Igreja Católica a crescer no Brasil. Seu amigo Dom Luciano Mendes de Almeida terá alentado capítulo especial.

Cesar R. P.

Fonte: Revista Istoé

Não basta ter uma reta fé, mas também uma reta vida, diz Papa

O Papa Bento XVI afirmou, neste domingo, 13, que a fé não é suficiente e que é necessário amar o próximo, já que quem não ama seu irmão não é um verdadeiro cristão, porque “Deus não vive nele”. No discurso que antecedeu a oração mariana do Ângelus, no pátio interno da Residência Apostólica de Castel Gandolfo, o Santo Padre destacou o motivo da encarnação de Cristo: “Jesus não veio ao mundo para nos ensinar uma filosofia, mas sim para nos mostrar um caminho, ou melhor, o caminho que conduz à vida”. “Este caminho é o amor, que é a expressão da verdadeira fé. Se alguém ama o próximo com coração puro e generoso, quer dizer que conhece verdadeiramente Deus. Se ao contrário, diz que tem fé, porém não ama seus irmãos, não é um verdadeiro cristão. Deus não vive nele”, disse o Papa. Em seguida, Bento XVI citou São João Crisóstomo, um dos doutores da Igreja que assim escreveu: “Alguém pode ter uma reta fé no Pai e no Filho, como também no Espírito Santo, mas se não tem uma reta vida, a sua fé não lhe servirá para a salvação. Quando, portanto, se lê no Evangelho: “Esta é a vida eterna: que Te conheçam como o único verdadeiro Deus", não pensem que isso baste para se salvar: são necessários uma vida e um comportamento puríssimos”. Em seguida o Papa recordou que nesta segunda-feira, 14, celebraremos a Festa da Exaltação da Santa Cruz e, no dia seguinte, Nossa Senhora das Dores. "A Virgem Maria, que acreditou na Palavra do Senhor, não perdeu a sua fé em Deus quando viu o seu Filho rejeitado, ultrajado e colocado em uma cruz. Ao contrário permaneceu ao lado de Jesus, sofrendo e rezando, até o fim", ressaltou o Santo Padre. "Ela viu a alvorada radiosa da sua Ressurreição. Vamos aprender com ela a testemunhar a nossa fé com uma vida de humilde serviço, prontos a pagar com a própria pessoa para permanecer fiéis ao Evangelho da caridade e da verdade, com a certeza de que nada se perde daquilo que fazemos”, disse ainda Bento XVI. Antes de se despedir dos fiéis e peregrinos, o Papa saudou os presentes em diversas línguas. Em seguida, concedeu a todos a sua Benção Apostólica.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

sábado, 12 de setembro de 2009

Apenas no diálogo com Deus nos tornamos bons servos, diz Papa


O Papa Bento XVI deixou nesta manhã de sábado, 12, a cidade de Castel Gandolfo para presidir a Santa Missa, na Basílica de São Pedro, na qual ordenou cinco novos bispos italianos: Dom Gabrielle Giordano Caccia, Dom Franco Coppola, Dom Pietro Parolin, Dom Raffaele Martinelli e Dom Giorgio Corbellini, que trabalharam na Secretaria de Estado, na Congregação para a Doutrina da Fé e no Governatorato do Estado da Cidade do Vaticano.

A homilia foi a ocasião para Bento XVI refletir sobre o sacramento da Ordem. O Pontífice recordou que Jesus reuniu todos os vários aspectos de seu sacerdócio em uma única frase: "O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate de muitos" (Mc 10, 45).

"Servir e, com isso, doar-se a si mesmo, ser não para si, mas para os outros, da parte de Deus e em vista de Deus: isto é o núcleo mais profundo da missão de Jesus Cristo e, junto, a verdadeira essência do seu Sacerdócio."

Cristo fez do termo servo um título de honra. Ele que é o verdadeiro patrão veio ao mundo como servo. Seu sacerdócio não é domínio, mas serviço.

Em Jerusalém, na última semana de sua vida, Jesus destacou as três características do servir, sendo a primeira a fidelidade. A fidelidade é altruísmo e, desse modo, é libertadora para o próprio ministro e para aqueles que são confiados a ele. A fidelidade não é estéril ou estática, é criativa. Fidelidade não é medo, mas é inspirada pelo amor e por seu dinamismo.

A segunda característica que Jesus pede ao servo é a prudência. Prudência, esclareceu o Papa, é diferente da astúcia.

Prudência, segundo a tradição filosófica grega, é a primeira das virtudes cardeais, indica a primazia da verdade, torna-se critério do nosso agir. Prudência significa colocar-se em busca da verdade e agir segundo ela. Assim, a primeira virtude cardeal do sacerdote consiste em deixar-se plasmar pela verdade que Cristo nos mostra.

A terceira característica sobre a qual Jesus fala nas parábolas do servo é a bondade. "Bom no sentido pleno é somente Deus. Ele é o Bem, o Bom por excelência, a Bondade em pessoa. Em uma criatura, como no homem, o ser bom se baseia, portanto, necessariamente sobre uma profunda orientação interior em direção a Deus. A bondade pressupõe, sobretudo, uma viva comunhão com Deus. Somente se a nossa vida se desenvolve no diálogo com Ele, poderemos nos tornar verdadeiramente servos bons", disse o Papa.

Por fim, Bento XVI recordou que no calendário da Igreja hoje se recorda o Nome de Maria, que, na tradição ocidental, foi traduzido como "Estrela do Mar":

"Quantas vezes a história na qual vivemos se parece com um mar escuro que atinge com ondas ameaçadoras o barco da nossa vida. Muitas vezes, a noite parece impenetrável. Muitas vezes, tem-se a impressão de que somente o mal tem poder. Muitas vezes, percebemos somente de longe a grande luz, Jesus Cristo, que venceu a morte e o mal. Mas então vemos muito próxima a luz que se acendeu, quando Maria disse: 'Eis a serva do Senhor'. Ele nos deu a sua Mãe como nossa Mãe, a fim de que aprendamos com Ela a pronunciar o 'sim' que nos torna bons."

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Relíquias de Dom Bosco percorrem América Latina

Em preparação ao bicentenário de nascimento de Dom Bosco, em 2015, a Congregação Salesiana está promovendo a peregrinação da urna com a relíquia do santo. No momento, a relíquia está na América Latina, após a primeira etapa realizada na Itália, em junho deste ano. A etapa latino-americanana ocorre na chamada Região salesiana América Cone Sul, que abrange o Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil. Até o dia 23 de setembro, a urna permanece no Uruguai. Confira os próximos locais da peregrinação na Região América Cone Sul: - Rosário (Argentina): de 24/09 a 10/10 - Córdova (Argentina): de 11/10 a 28/10 - Paraguai: de 29/10 a 15/11 - Porto Alegre (Brasil): de 16/11 a 02/12 - São Paulo (Brasil): de 03/12 a 19/12 - Belo Horizonte (Brasil): de 20/12 a 31/12 - Campo Grande (Brasil): de 06/01 a 20/01/2010 - Recife (Brasil): de 21/01 a 07/02 - Manaus (Brasil): de 08 /02 a 28/02, de de onde segue para a capital da Venezuela, Caracas. No período em que passar pelo estado de São Paulo, a urna visitará a sede da Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista, no dia 8 de dezembro. A seguir, o programa da peregrinação, que terminará no dia 31 de janeiro de 2014, contempla as regiões Interamérica, Ásia Leste-Oceânia, Ásia Sul, África-Madagascar, Europa Oeste, Europa Norte e Itália-Oriente Médio. A urna

A base da urna representa um ponte sustentada por quatro pilares, sobre os quais estão inscritas as datas que definem o bicentenário: 1815-2015. As laterais dos pilares apresentam rostos de jovens dos cinco continentes. O brasão da Congregação Salesiana, que celebra, em 2009, os 150 anos de fundação, e o lema adota por Dom Bosco - "Da mihi animas, cetera tolle" ("Dai-me almas e ficai com o resto") – completam a decoração da peça.
A urna, incluindo a base, mede 2,53m de comprimento, 1m de largura e 1,32 de altura. Seu peso total é de 530 quilos. No interior, está colocada uma estátua de Dom Bosco semelhante a que existe na urna conservada na Basílica de Maria Auxiliadora, em Turim, na Itália.
Fonte: Canção Nova

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Convite para encontro vocacional

Papa recebe bispos brasileiros do Nordeste 2

O Papa Bento XVI recebeu em audiência esta manhã, 10, em Castel Gandolfo, cinco bispos do Regional Nordeste 2 que corresponde aos estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em visita "Ad Limina Apostolorum". O grupo era composto pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Antônio Fernando Saburido, pelo bispo de Caruaru, Dom Bernardino Marchió, pelo bispo de Floresta, Dom Adriano Ciocca Vasino, pelo bispo de Garanhuns, Dom Fernando José Monteiro Guimarães e pelo bispo de Nazaré, Dom Severino Batista de França.

Após receber os bispos brasileiros, Bento XVI recebeu os
membros do grupo de promotores do Pavilhão da Santa Sé na Expo Internacional 2008 em Zaragoza, na Espanha.
Fonte: Rádio Vaticano

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Bento XVI destaca ensinamentos sobre a Cruz e a Palavra de Deus

Na Catequese desta quarta-feira, 9, o Papa Bento XVI recordou um dos grandes santos do século XI, Pedro Damião. Monge que deixou profundos ensinamentos sobre o amor que brota da Cruz e o valor da Palavra de Deus na vida dos cristãos. O Santo Padre deixou, logo cedo, a Residência Apostólica de Castel Gandolgo e se dirigiu ao Vaticano para a habitual audiência geral das quartas-feiras, na Sala Paulo VI. Pedro Damião nasceu na cidade italiana de Ravena, e muito cedo perdeu seus pais sendo criado pelos irmãos que lhe deram uma magnífica formação, tanto jurídica como na cultura clássica latina. Na sua juventude dedicou-se ao ensino e compôs grandes obras literárias. Com o passar do tempo sentiu o chamado à vida de eremita entrando para o Mosteiro de “Fuente Avellana". Durante décadas dedicou-se de modo exemplar à vida monacal. “Como conseqüência das suas muitas horas de contemplação e meditação, ele nos deixou textos de alto valor teológico, como também magníficos sermões e cartas sobre o amor que brota da Cruz e do valor da Palavra de Deus na vida espiritual do monge e do cristão. Esse trabalho de pensamento, através do qual exortava todos a colocarem no centro de suas vidas Cristo, estava orientado na busca de uma profunda reforma da Igreja”, disse Bento XVI. Por isso, em várias ocasiões Padre Damião foi chamado pelos Papas para desempenhar uma atividade pastoral mais direta ou para solucionar problemas que afligiam a Igreja naquele momento. “É um grande dom poder contar com uma pessoa como São Pedro Damião, que consumou suas energias espirituais e físicas por amor a Cristo e a sua Igreja, e que testemunha mais uma vez a primazia de Deus sobre todas as coisas”, disse ainda o Papa. O Santo Padre na conclusão da audiência geral saudou os vários grupos de peregrinos presentes em diversas línguas. Em italiano o Papa saudou os jovens, os enfermos e os recém-casados. E lembrou a memória litúrgica do Nascimento de Nossa Senhora, celebrada nesta terça-feira, 8. O Concílio Vaticano II diz que Maria nos precede no caminho da fé porque “acreditou na realização das palavras do Senhor”. “Peço à Virgem Maria o dom de uma fé cada vez mais madura para os jovens; uma esperança sempre mais sólida para os enfermos; um amor sempre mais profundo e duradouro para os recém-casados”. O Papa saudou, também, os peregrinos de língua portuguesa e concedeu a todos a sua benção apostólica. “Dirijo uma cordial saudação a todos os peregrinos de língua portuguesa, particularmente aos grupos vindos de Portugal e do Brasil, de Ribeirão Pires e Rio de Janeiro, e à Comunidade Palavra Viva, convidando a todos vós que viestes a Roma a renovar o propósito de ter Jesus Cristo como o verdadeiro centro de vossas vidas. Obrigado pela visita! Que Deus vos guarde e abençoe!”
Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Divulgado calendário de atividades do Papa até novembro

Duas viagens, o Sínodo da África e a proclamação de novos santos são algumas das atividades mais importantes do Papa Bento XVI entre os meses de setembro e novembro. De acordo com informação divulgada pela Sala de Imprensa do Vaticano, Bento XVI vai ordenar bispos no próximo sábado, 12, na Basílica Vaticana. E entre os dias 26 e 28 de setembro, o Papa visita pela primeira vez a República Checa. Bento XVI inaugura, dia 4 de Outubro, o 2º Sínodo da África e, no dia 25 de Outubro, na Basílica Vaticana, encerra a assembleia dos bispos africanos. No sábado, 10 de Outubro, na Sala Paulo VI, às 18h, o Papa preside à oração do Terço com os universitários de Roma. No dia seguinte, na Praça de São Pedro, às 10h, o Bento XVI vai canonizar os beatos Zygmunt Szczesny Felinski, Francisco Coll y Guitart, José Damião de Veuster, Rafael Arnáiz Barón e Marie de la Croix (Jeanne) Jugan. No dia 5 de novembro, o Papa preside, como é tradição, no altar da Cátedra da Basílica Vaticana, a Santa Missa de sufrágio dos cardeais e bispos falecidos ao longo do ano. O calendário público do Papa divulgado pela Sala de imprensa termina com a visita pastoral, em 8 de novembro, à província de Bréscia, na região de Lombardia, na Itália, local onde o Papa Paulo VI nasceu.
Fonte: Agência Ecclesia

Igreja terá cinco novos beatos

O Papa Bento XVI aprovou a beatificação de cinco Servos de Deus: quatro europeus e uma palestina. A informação é do departamento de Celebrações Litúrgicas do Vaticano.

- Eustachio (Joseph) Kugler, religioso da Ordem Hospitalar de São João de Deus. A cerimônia será no dia 4 de outubro, na Catedral de Ratisbona, Alemanha.

- Ciriaco Maria Sancha y Hervás, bispo e cardeal, fundador do Instituto das Religiosas da Caridade Sancha. Sua beatificação será no dia 18 de outubro, na Catedral de Toledo, Espanha.

- Carlo Gnocchi, sacerdote, fundador da Obra Pro Juventute. A beatificação será em 25 de outubro, na Catedral de Milão, Itália.

- Zoltán Lajos Meszlényi, bispo e mártir, será elevado à honra dos altares sábado, 31 de outubro, na Catedral de Esztergom, Hungria.

- Maria Alfonsina Danil Ghattas (Maria Soultaneh), palestina, co-fundadora da Congregação das Irmãs Dominicanas do Santíssimo Rosário de Jerusalém, nascida em Jerusalém e falecida em Ain Karem.A cerimônia será em 22 de novembro, na Basílica da Anunciação, em Nazaré, Israel.
Fonte: Santa Sé

domingo, 6 de setembro de 2009

Papa exorta Igreja a viver em comunhão e recorda II Guerra Mundial

Bento XVI rezou a oração mariana do Angelus, deste domingo, 6, na esplanada do Vale Faul, em Viterbo, onde celebrou a Santa Missa por ocasião de sua visita pastoral. Na alocução que precedeu a oração mariana, o Santo Padre ressaltou que há muitos séculos a diocese de Viterbo tem um forte vínculo de comunhão e afeto com o Sucessor de Pedro. Bento XVI disse que percebeu esse laço afetivo ao visitar, esta manhã, a sala do Conclave, na residência dos papas, onde foram escolhidos cinco pontífices. Viterbo foi sede papal entre os anos 1254 a 1281. Nesta cidade estão sepultados quatro pontífices: João XXI, Alessandro IV, Clemente IV e Adriano. Na província de Viterbo nasceu São Leão Magno, que prestou um grande serviço à verdade na caridade, por meio de um assíduo exercício da palavra testemunhado com os seus sermões e suas cartas. Na localidade de Blera nasceu o Papa Sabiano, sucessor de São Gregório Magno e em Canino nasceu o Papa Paulo III. E Bento XVI acrescentou: "Viterbo é chamada a "Cidade dos Papas" e isso deve estimular vocês a viver e testemunhar a fé cristã, a mesma fé pela qual deram a vida os santos mártires Valentino e Ilário, sepultados na Catedral, primeiros de uma longa fileira de santos, mártires e bem-aventurados desta terra." O Santo Padre pediu aos fiéis suas orações para que possa desempenhar com fidelidade e amor a missão de Pastor do rebanho de Cristo. O Papa prometeu que rezará pela Igreja em Viterbo a fim de que possa permanecer unida e viver na fraterna comunhão, condições indispensáveis para oferecer ao mundo um testemunho evangélico eficaz. A seguir o Santo Padre concedeu a todos a sua bênção apostólica. Após a oração mariana do Angelus, o Papa saudou os participantes do Congresso Internacional "Homens e Religiões", que tem início hoje em Cracóvia, na Polônia, e se concluirá na próxima terça-feira, dia 8, sobre o tema "Fé e culturas em diálogo". Guerras e conflitos Líderes religiosos, chefes de Estado, homens e mulheres de cultura foram convidados pela arquidiocese de Cracóvia e pela Comunidade Romana de Santo Egídio a participar do encontro e recordar os 70 anos do início da II Guerra Mundial, e os vinte anos da queda do Muro de Berlim e dos regimes comunistas na Europa Oriental. "Não podemos nos esquecer dos fatos dramáticos que deram início a um dos maiores e terríveis conflitos da história, que causou a morte de milhões de pessoas e provocou o sofrimento do amado povo polonês. Um conflito que causou a tragédia do Holocausto e o extermínio de milhões de inocentes", frisou Bento XVI. O Santo Padre ressaltou que a memória desses eventos nos impulsione a rezar pelas vítimas e por aqueles que sofrem no corpo e no coração. "Que tais fatos não mais se repitam e se intensifiquem os esforços a fim de construir em nosso tempo, marcado por conflitos e contraposições, uma paz duradoura, transmitindo, sobretudo às novas gerações, uma cultura e um estilo de vida centralizados no amor, na solidariedade e na estima pelo outro", ressaltou. Bento XVI sublinhou que neste sentido as religiões podem e devem contribuir na promoção da reconciliação e do perdão, na luta contra a violência, o racismo, o totalitarismo, o fundamentalismo que deturpam a imagem do Criador no ser humano, cancelando o horizonte de Deus que leva ao desprezo do próprio do homem. "O Senhor nos ajude a construir a paz, partindo do amor e da compreensão", concluiu o Papa.
Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

sábado, 5 de setembro de 2009

Papa recebe bispos brasileiros do Regional Oeste 2

O Papa Bento XVI recebeu neste sábado, 05, na residência pontifícia de Castel Gandolfo, quatro bispos do Regional Oeste 2 que corresponde ao estado do Mato Grosso, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em visita "ad limina apostolurum".

O grupo era composto pelo presidente do Regional Oeste 2 e Bispo de Sinop, Dom Gentil Delázari, Bispo de Juína, Dom Neri José Tondello, Bispo de São Luis de Cárceres, Dom Antônio Emídio Vilar e o Bispo de Paranatinga, Dom Vital Chitolina. Na última quinta-feira, 03, o Papa recebeu os prelados do Oeste 1, Mato Grosso do Sul, e alguns do Oeste 2.
Fonte: Rádio Vaticano.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Participe da Festa da padroeira de Curitiba!

Começa no sábado (05), o tríduo preparatório à Festa em honra a Nossa Senhora da Luz, na Catedral Basílica. Nos três dias de tríduo a celebração vai acontecer às 18h, seguida de confraternização. No dia 8 de setembro, dom Moacyr José Vitti, arcebispo metropolitano, preside a Santa Missa das 10h e das 18h. Logo após, ocorre a tradicional procissão luminosa, com a animação do padre Reginaldo Manzotti. O cortejo segue pelas ruas próximas à Catedral.

Padroeira de Curitiba - A capital paranaense nasceu ao redor de uma capela dedicada à Nossa Senhora da Luz, a primeira igreja católica na cidade. A pequena igreja tornou-se Matriz no século 17, e mais tarde deu lugar à Catedral Basílica, que foi construída exatamente no mesmo local onde a Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais começou. Nossa Senhora da Luz é padroeira da Catedral Basílica, da Arquidiocese de Curitiba e da capital paranaense.

Programação:

    Tríduo

05 - sábado

  • 18h - Santa Missa com o tema: “Maria: Expressão do Amor de Deus e morada do Espírito Santo”

  • Pregador: dom João Carlos Seneme, bispo auxiliar de Curitiba

  • Após a missa, noite do café colonial (por adesão)

06 - domingo

  • 18h – Santa Missa com o tema: “Maria nos ensina a ser Igreja”

  • Pregador: dom Pedro Fedalto, arcebispo emérito de Curitiba

  • Após a missa, noite da pizza (por adesão) e concerto do Coral da Catedral

07- segunda-feira

  • 18h – Santa Missa com o tema: Maria: “Mãe e modelo do coração Sacerdotal” (Ano Presbiteral)

  • Pregador: pe. Mário Barão Filho

  • Após a missa, noite dos queijos e vinhos (por adesão)

Solenidade

08 – terça-feira

  • 8h30 – Santa Missa

  • 10h - Santa Missa solene - Presidente e pregador: dom Moacyr José Vitti, arcebispo Metroplitano

  • 15h - Terço Meditado

  • 18h - Santa Missa e consagração à Nossa Senhora da Luz

  • Após a Santa Missa: Procissão Luminosa de Nossa Senhora da Luz com animação do pe. Reginaldo Manzotti

Itinerário da procissão: Catedral (Praça Tiradentes), rua Nestor de Castro, rua Dr. Muricy, rua Cruz Machado, Praça Tiradentes

Cardeal Hummes exorta padres a serem missionários

“Não podemos nos limitar a atender e evangelizar as pessoas que nos procuram na Igreja e na casa paroquial”. Com esta afirmação, o Prefeito da Congregação para o Clero, Cardeal Dom Cláudio Hummes, incentivou os sacerdores reunidos, nesta sexta-feira, 4, no VI Simpósio para o Clero, em Fátima, Portugal, a evangelizarem aqueles que estão fora das comunidades paroquiais. “Existe um novo paganismo e não é suficiente que nós procuremos manter o rebanho já existente”, afirmou.

Ao pedir que os padres sejam missionários, Dom Hummes afirmou ainda que alguns padres fizeram um encontro “insuficiente e superficial” com Jesus Cristo e converteram o ministério ordenado recebido “numa espécie de profissão eclesiástica, que desenvolvem como funcionários que aprenderam a fazer a função”.

Após uma análise do mundo contemporâneo, o Cardeal Cláudio Hummes destacou aos sacerdotes que não devem se desencorajar, não ter medo e não condenar a sociedade atual. "A missão é urgente [e constitui também] uma das oportunidades mais eficazes para renovar a vida sacerdotal”.

Nesta quinta-feira, 2, numa coletiva de imprensa, Dom Cláudio destacou uma tarefa reforçada pelos últimos papas: "Se deve voltar sempre à identidade que Cristo instituiu: ser pastor e guiar a comunidade”.

Ao longo de quatro dias e com o tema "Reaviva o dom que há em ti", o VI Simpósio para o Clero reuniu, em Fátima, mais de 800 padres de todas as dioceses de Portugal.
Fonte: Rádio Vaticano.

Página no facebook

Página no facebook
Curta nossa página no facebook, clique na imagem acima!