"Por isso, digo-vos: não tenhais medo de construir a vossa vida na Igreja e com a Igreja! Sede orgulhosos do amor a Pedro e à Igreja que lhe foi confiada. Não vos deixeis enganar por aqueles que desejam opor Cristo à Igreja! Só existe um rochedo sobre o qual vale a pena construir a própria casa. Esta rocha é Cristo. Só há uma pedra sobre a qual vale a pena fundamentar tudo. Esta pedra é aquele a quem Cristo disse: 'Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja' (Mt 16, 18)".

Papa Bento XVI.
Discurso durante o encontro com os jovens no parque de Błonia. Cracóvia, 27 de Maio de 2006.

Visite nosso canal no YouTube!

Visite nosso canal no YouTube!
Clique na imagem

domingo, 6 de setembro de 2009

Papa exorta Igreja a viver em comunhão e recorda II Guerra Mundial

Bento XVI rezou a oração mariana do Angelus, deste domingo, 6, na esplanada do Vale Faul, em Viterbo, onde celebrou a Santa Missa por ocasião de sua visita pastoral. Na alocução que precedeu a oração mariana, o Santo Padre ressaltou que há muitos séculos a diocese de Viterbo tem um forte vínculo de comunhão e afeto com o Sucessor de Pedro. Bento XVI disse que percebeu esse laço afetivo ao visitar, esta manhã, a sala do Conclave, na residência dos papas, onde foram escolhidos cinco pontífices. Viterbo foi sede papal entre os anos 1254 a 1281. Nesta cidade estão sepultados quatro pontífices: João XXI, Alessandro IV, Clemente IV e Adriano. Na província de Viterbo nasceu São Leão Magno, que prestou um grande serviço à verdade na caridade, por meio de um assíduo exercício da palavra testemunhado com os seus sermões e suas cartas. Na localidade de Blera nasceu o Papa Sabiano, sucessor de São Gregório Magno e em Canino nasceu o Papa Paulo III. E Bento XVI acrescentou: "Viterbo é chamada a "Cidade dos Papas" e isso deve estimular vocês a viver e testemunhar a fé cristã, a mesma fé pela qual deram a vida os santos mártires Valentino e Ilário, sepultados na Catedral, primeiros de uma longa fileira de santos, mártires e bem-aventurados desta terra." O Santo Padre pediu aos fiéis suas orações para que possa desempenhar com fidelidade e amor a missão de Pastor do rebanho de Cristo. O Papa prometeu que rezará pela Igreja em Viterbo a fim de que possa permanecer unida e viver na fraterna comunhão, condições indispensáveis para oferecer ao mundo um testemunho evangélico eficaz. A seguir o Santo Padre concedeu a todos a sua bênção apostólica. Após a oração mariana do Angelus, o Papa saudou os participantes do Congresso Internacional "Homens e Religiões", que tem início hoje em Cracóvia, na Polônia, e se concluirá na próxima terça-feira, dia 8, sobre o tema "Fé e culturas em diálogo". Guerras e conflitos Líderes religiosos, chefes de Estado, homens e mulheres de cultura foram convidados pela arquidiocese de Cracóvia e pela Comunidade Romana de Santo Egídio a participar do encontro e recordar os 70 anos do início da II Guerra Mundial, e os vinte anos da queda do Muro de Berlim e dos regimes comunistas na Europa Oriental. "Não podemos nos esquecer dos fatos dramáticos que deram início a um dos maiores e terríveis conflitos da história, que causou a morte de milhões de pessoas e provocou o sofrimento do amado povo polonês. Um conflito que causou a tragédia do Holocausto e o extermínio de milhões de inocentes", frisou Bento XVI. O Santo Padre ressaltou que a memória desses eventos nos impulsione a rezar pelas vítimas e por aqueles que sofrem no corpo e no coração. "Que tais fatos não mais se repitam e se intensifiquem os esforços a fim de construir em nosso tempo, marcado por conflitos e contraposições, uma paz duradoura, transmitindo, sobretudo às novas gerações, uma cultura e um estilo de vida centralizados no amor, na solidariedade e na estima pelo outro", ressaltou. Bento XVI sublinhou que neste sentido as religiões podem e devem contribuir na promoção da reconciliação e do perdão, na luta contra a violência, o racismo, o totalitarismo, o fundamentalismo que deturpam a imagem do Criador no ser humano, cancelando o horizonte de Deus que leva ao desprezo do próprio do homem. "O Senhor nos ajude a construir a paz, partindo do amor e da compreensão", concluiu o Papa.
Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano.

3 comentários:

Reninha disse...

Precisamos, então, testemunhar com nossas vidas o amor e a compreensão, para que então alcancemos a Paz!

DE MÂOS DADAS disse...

Vamos então orar pelo nosso Santo Papa
já que ele pediu aos fiéis as suas orações para que possa desempenhar com fidelidade e amor a missão de Pastor do rebanho de Cristo.
Assim seja

teresa disse...

sem duvida que se hovesse mais amor e mais compreensão entre os seres humanos , haveria com certeza mais paz,
rezemos por isso.

Página no facebook

Página no facebook
Curta nossa página no facebook, clique na imagem acima!