"Por isso, digo-vos: não tenhais medo de construir a vossa vida na Igreja e com a Igreja! Sede orgulhosos do amor a Pedro e à Igreja que lhe foi confiada. Não vos deixeis enganar por aqueles que desejam opor Cristo à Igreja! Só existe um rochedo sobre o qual vale a pena construir a própria casa. Esta rocha é Cristo. Só há uma pedra sobre a qual vale a pena fundamentar tudo. Esta pedra é aquele a quem Cristo disse: 'Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja' (Mt 16, 18)".

Papa Bento XVI.
Discurso durante o encontro com os jovens no parque de Błonia. Cracóvia, 27 de Maio de 2006.

Visite nosso canal no YouTube!

Visite nosso canal no YouTube!
Clique na imagem

domingo, 27 de setembro de 2009

Quem pode salvar o homem senão Deus?, reflete Bento XVI

“O homem tem necessidade de ser libertado das opressões materiais e, mais profundamente, dos males que afligem o espírito. E quem pode salvá-lo senão Deus, que é Amor e revelou o seu rosto de Pai onipotente e misericordioso em Jesus Cristo?”. Essa foi a reflexão do Papa Bento XVI neste domingo, 27, na Santa Missa celebrada no Aeroporto Tuřany, em Brno, a segunda cidade mais importante da República Tcheca.

O Santo Padre deslocou-se à cidade logo cedo (8h45 local) para encontrar os fiéis e peregrinos, cerca de 120 mil, e com eles celebrar a Missa e, em seguida, a oração do Ângelus.

Em sua homilia, o Papa falou sobre a esperança, partindo das palavras de Jesus, escritas em grandes letras no pórtico da Catedral de Brno: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. O Pontífice disse ter acolhido a sugestão do bispo local para falar sobre a esperança, pensando não só no povo deste país, mas também na Europa e em toda a humanidade, “que tem sede de algo sobre que o apoiar solidamente o próprio futuro”.

“A experiência da história mostra a que absurdos chega o homem quando exclui Deus do horizonte das suas opções e ações. E mostra também que não é fácil construir uma sociedade inspirada nos valores do bem, da justiça e da fraternidade, porque o ser humano é livre e a sua liberdade permanece frágil. A liberdade tem que ser constantemente reconquistada. Trata-se de uma tarefa que toca a todas as gerações”, apontou Bento XVI.

Detendo-se sobre a realidade do mundo contemporâneo, o Papa destacou:

“O vosso país, como outras nações, está vivendo uma condição cultural que muitas vezes constitui um radical desafio para a fé e portanto também para a esperança. De fato, na época moderna, tanto a fé como a esperança foram como que acantonadas, relegadas para o plano privado e ultra-terreno, ao passo que na vida concreta e pública se afirmou a confiança no progresso científico e econômico”.

Mas o fundamento da fé e da esperança, sublinhou Bento XVI, permanece sempre e só o Amor de Deus revelado e comunicado em Jesus Cristo:

“O homem tem necessidade de ser libertado das opressões materiais e, mais profundamente, dos males que afligem o espírito. E quem pode salvá-lo se não Deus, que é Amor e revelou o seu rosto de Pai onipotente e misericordioso em Jesus Cristo? A nossa firme esperança é portanto Cristo: n’Ele Deus nos amou até ao extremo e nos deu a vida em abundância, aquela vida que cada pessoa, por vezes até mesmo inconscientemente, aspira a possuir”.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

Um comentário:

DE MÂOS DADAS disse...

O Papa diz que a nossa Esperança é Cristo
Vamos então ter Fé "como um grão de mostarda.."
Abraço em Cristo

Página no facebook

Página no facebook
Curta nossa página no facebook, clique na imagem acima!