"Por isso, digo-vos: não tenhais medo de construir a vossa vida na Igreja e com a Igreja! Sede orgulhosos do amor a Pedro e à Igreja que lhe foi confiada. Não vos deixeis enganar por aqueles que desejam opor Cristo à Igreja! Só existe um rochedo sobre o qual vale a pena construir a própria casa. Esta rocha é Cristo. Só há uma pedra sobre a qual vale a pena fundamentar tudo. Esta pedra é aquele a quem Cristo disse: 'Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja' (Mt 16, 18)".

Papa Bento XVI.
Discurso durante o encontro com os jovens no parque de Błonia. Cracóvia, 27 de Maio de 2006.

Visite nosso canal no YouTube!

Visite nosso canal no YouTube!
Clique na imagem

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Bento XVI nomeia cinco bispos para o Brasil

O Papa Bento XVI nomeou nesta quarta-feira, 30, cinco bispos para o Brasil. Três deles já fazem parte do episcopado e serão somente transferidos: o Arcebispo de Palmas (TO), Dom Alberto Taveira Corrêa, que está sendo transferido para a vacante Arquidiocese de Belém (PA); Dom Vicente Costa, que está sendo transferido da diocese de Umuarama (PR) para a vacante diocese de Jundiaí (SP); e Dom Pedro Luiz Stringhini, que atualmente é bispo auxiliar da arquidiocese de São Paulo (SP) e agora passa a assumir a diocese de Franca (SP);

Já os outros dois, serão sagrados novos bispos. Padre Waldemar Passini Dalbello, do clero da arquidiocese de Brasília (DF), atualmente reitor do Seminário Interdiocesano São João Maria Vianney de Goiânia foi nomeado bispo auxiliar na arquidiocese de Goiânia (GO); e padre Edmar Perón, atualmente reitor do Seminário de Teologia de Maringá (PR), foi nomeado bispo auxliar na arquidiocese de São Paulo.

Dom Alberto Taveira Corrêa


O atual arcebispo de Palmas (TO) é mineiro de Nova Lima. Nasceu em 26 de maio de 1950. Seus estudos filosóficos e teológicos foram feitos no Seminário Coração Eucarístico de Jesus e PUC-MINAS, em Belo Horizonte (MG). Além desses, ele estudou Espiritualidade Sacerdotal, no Instituto Mystici Corporis – Fascati, em Roma. Sua ordenação episcopal aconteceu em sua terra natal, no dia 06 de julho de 1991. Ele está à frente da arquidiocese de Palmas desde 31 de maio de 1996. Como bispo, ele já foi auxiliar da arquidiocese de Brasília (DF) [1991 – 1996]; vice-presidente do Conselho Administrativo da Fundação Popularum Progressio; assistente nacional da Renovação Carismática Católica [1994 – 2000]; membro da Comissão Episcopal do DEVYM/Celam [1995 – 1999]; presidente do Regional Centro-Oste [2003 – 2007]; e delegado da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e Caribe, em 2007. Seu lema episcopal é "Para a Vida do Mundo".

Dom Vicente Costa

Natural de Birkirkara, em Malta, Dom Vicente tem 62 anos. Sua ordenação episcopal aconteceu em 19 de setembro de 1998, em Maringá (PR). Estudou filosofia na Universidade de Malta [1964 -1968], e teologia no Studium Theologicum, de Curitiba (PR) [1969 – 1971] e no Instituto Teológico de Curitiba [1971 – 1972] e fez doutorado na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Entre suas atividades episcopais, foi bispo auxiliar de Londrina (PR) [1998 – 2002] e atualmente é bispo da diocese de Umuarama. Está no cargo desde 09 de outubro de 2002. Seu lema episcopal é "Fazei tudo o que Ele vos disser (Jo2, 5)".

Dom Pedro Luiz Stringhini

Nascido em 17 de agosto de 1953, Dom Pedro Stringhini é filho de Laranjal Paulista, município do interior de São Paulo. Ele é bispo auxiliar de São Paulo [Região Episcopal Belém] desde 18 de março de 2001. Sua ordenação episcopal aconteceu em São Paulo (SP), no dia 10 de março de 2001. Seus estudos teológicos foram feitos na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo (SP) [1977 – 1980]; com mestrado em Bíblia pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma [1986 – 1990] e doutorado em Teologia Bíblica [1994 – 1995] na Universidade Gregoriana de Roma, além de ter se formado em Letras, pela Faculdade Anchieta de São Paulo [1972 – 1974]. Seu lema é "Em tua palavra (Lc 5, 5)".

Monsenhor Waldemar Passini Dalbello

Nascido em Anápolis (GO), em 6 de junho de 1966, monsenhor Waldemar Passini Dalbello, pertence ao clero de Brasília (DF). Sua ordenação sacerdotal ocorreu em 3 de dezembro de 1994. Estudou filosofia e teologia no Seminário Maior Arquidiocesano de Brasília, Nossa Senhora de Fátima. Na Universidade Federal de Goiás (UFG), se formou em Engenharia Elétrica. Seu mestrado em Ciências Bíblicas foi feito no Pontifício Instituto Bíblico de Roma. Em suas atividades pastorais ele foi vigário paroquial da paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em Brasília; formador e professor de Sagrada Escritura no Seminário Maior Arquidiocesano de Nossa Senhora de Fátima e do curso superior de Teologia para Leigos, da arquidiocese de Brasília; diretor espiritual da Comissão Arquidiocesana da Nova Evangelização [arquidiocese de Brasília]; ecônomo do Seminário Maior de Brasília; vigário paroquial da Paróquia Santíssima Trindade e colaborador junto à Nunciatura Apostólica no Brasil.

Na arquidiocese de Goiânia, ele é atualmente reitor do Seminário Interdiocesano São João Maria Vianney e professor de Sagrada Escritura no Instituto de Filosofia e Teologia Santa Cruz. Desde 2008, ele é presidente da Organização dos Seminários e Institutos Filosófico -Teológicos do Brasil (OSIB) no Regional Centro – Oeste e reitor do Seminário Santa Cruz – Ano Propedêutico da arquidiocese de Goiânia.

Monsenhor Edmar Perón
O primeiro dos quatro filhos de Leonildo Perón e Aparecida Besagio Perón, monsenhor Edmar Perón é natural de Maringá (PR), nascido em 04 de março de 1965. Cursou filosofia no Seminário Maior Arquidiocesano Nossa Senhora da Glória – Instituto de Filosofia de Maringá [1983 -1985] e teologia no Seminário Paulo VI – Instituto Teológico Paulo VI de Londrina (PR) entre os anos de 1986 a 1989.Monsenhor Edmar foi ordenado sacerdote em 21 de janeiro de 1990. Desde então serviu à arquidiocese de Maringá como diretor espiritual dos filósofos [1991 a 1997]. Também foi vigário paroquial e pároco em diversas paróquias; membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores; assessor de Liturgia e Canto arquidiocesano por nove anos. Após seus estudos em Roma, entre os anos 2000 e 2002, onde fez o mestrado em teologia dogmática, especialização em teologia dos sacramentos, foi professor de teologia dogmática e liturgia, inicialmente no Instituto Teológico Paulo VI e, ultimamente, na PUC – PR – campus Londrina. Durante os últimos três anos foi reitor do Seminário de Teologia Santíssima Trindade, da arquidiocese de Maringá, situado em Londrina.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano


sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

"A Igreja não guarda Jesus para si", explica o Papa

A partir da sacada da Basílica de São Pedro, o Papa Bento XVI pronunciou ao meio-dia (em Roma, 9 horas no Brasil) desta sexta-feira, 25, a tradicional bênção Urbi et Orbi (sobre a cidade de Roma e o mundo).

"A Igreja não O [Jesus] guarda para si: oferece-O a quantos O procuram de coração sincero, aos humildes da terra e aos aflitos, às vítimas da violência, a quantos suspiram pelo bem da paz", afirmou.

Em sua mensagem, o Pontífice destacou que a luz vinda do Alto resplandece sobre a humanidade e que, na história da salvação, o estilo de Deus é de atuar na simplicidade e no oculto.

"Deus gosta de acender luzes circunscritas, para iluminarem depois ao longe e ao largo. A Verdade e também o Amor, que são o seu conteúdo, acendem-se onde a luz é acolhida, difundindo-se depois em círculos concêntricos, quase por contato, nos corações e mentes de quantos, abrindo-se livremente ao seu esplendor, se tornam por sua vez fontes de luz".

Bento XVI disse que Deus continua a "acender fogueiras na noite do mundo", convidando os homens a reconhecer em Jesus uma presença salvífica e libertadora. "Como Maria, a Igreja não tem medo, porque aquele Menino é a sua força".

Ao final da mensagem, o Pontífice destacou as realidades de conflito existentes em todas as partes do mundo. Sobre a América Latina, Bento XVI afirmou: "o 'nós' da Igreja é fator de identidade, plenitude de verdade e caridade que nenhuma ideologia pode substituir, apelo ao respeito dos direitos inalienáveis de cada pessoa e ao seu desenvolvimento integral, anúncio de justiça e fraternidade, fonte de unidade".

Fonte: Canção Nova

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Missa do Galo será presidida por Bento XVI

Últimos preparativos no Vaticano para a celebração desta noite, 24, da Santa Missa na Solenidade do Natal do Senhor. O Papa Bento XVI presidirá a Celebração, que inicia às 22h (hora local - 19h, em Brasília).

Ainda esta noite, será inaugurado o tradicional presépio. As imagens que representam o nascimento de Jesus ficarão ao lado da árvore de natal, na Praça São Pedro, e poderão ser visitadas até o mês de fevereiro.

No Angelus do último domingo, Bento XVI recordou que, como nos tempos de Jesus, o Natal não é uma fábula para crianças. Antes, é resposta de Deus ao drama da humanidade em busca da verdadeira paz. "Ele mesmo será a paz!" – diz o profeta Miquéias, referindo-se ao Messias.

Segundo o Papa, cabe aos homens descerrar as portas para acolhê-Lo, aprender com Maria e José a se colocar a serviço do desígnio de Deus: "Mesmo que nós não o compreendamos plenamente, confiemo-nos à sua sabedoria e bondade. Procuremos, antes de tudo, o Reino de Deus, e a Providência nos ajudará. Bom Natal a todos!", desejou o Pontífice.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Missa por um Natal Solidário (Jornal evangelizar)

Primeira casa da época de Jesus é encontrada em Nazaré

Foram encontrados em Nazaré, Israel, resquícios de uma casa construída na época de Jesus, a primeira descoberta do tipo feita no lugar onde Cristo passou sua infância, anunciou nesta segunda-feira, 21, a Autoridade de Antiguidades de Israel.

Arqueólogos não traçaram uma ligação direta entre a casa em Nazaré e Jesus.

Muitos fiéis cristãos acreditam que quando a mãe de Jesus, Maria, era criança, viveu numa caverna sobre a qual hoje fica a imponente Igreja da Anunciação, em Nazaré.

Yardenna Alexandre, que comandou a escavação perto da igreja, disse que ela expôs as paredes de uma casa do século 1 composta de dois cômodos e um pátio.

"A descoberta tem enorme importância porque revela pela primeira vez uma casa do vilarejo judaico de Nazaré", disse Alexandre em comunicado divulgado pela Autoridade de Antiguidades.

"A construção que encontramos é pequena e modesta. É provável que seja típica das moradias de Nazaré daquela época", disse a arqueóloga.

"Até agora já tinham sido encontrados vários túmulos em Nazaré do tempo de Jesus, mas não tinham sido descobertos resquícios de um assentamento na região atribuídos a essa época".

Yardenna descreveu Nazaré, hoje a maior cidade árabe de Israel, com cerca de 65 mil habitantes, como um "pequeno vilarejo" no tempo de Jesus.

Fonte: Reuters

domingo, 20 de dezembro de 2009

João Paulo II fica mais perto da beatificação

O reconhecimento das virtudes heroicas do Servo de Deus João Paulo II(Karol Wojtyla) foi autorizado pelo Papa Bento XVI.

Passados quase cinco anos da morte do papa polonês, o clamor "Santo Subbito!" ("Santo já!") - que ecoou na Praça de São Pedro durante os funerais - está mais perto de se concretizar.

Na manhã deste sábado, 19, Bento XVI recebeu em audiência privada o prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, Arcebispo Angelo Amato. Na ocasião, o Papa autorizou a promulgação de outros decretos da Congregação, que reconhecem milagres, virtudes heroicas e martírios de outros 20 postulantes aos altares.

O caminho até a beatificação de João Paulo II ficou mais curto. Agora, falta apenas o reconhecimento oficial de um milagre realizado através de sua intercessão.

Na já extensa lista de possíveis curas operadas através de sua intercessão, a da religiosa francesa Marie Simon Pierre é a acompanhada mais de perto. A freira, que pertence à Congregação das Irmãzinhas das Maternidades Católicas e trabalha em Paris, se recuperou de forma inexplicável do Mal de Parkinson dois meses após a morte do Papa.

"João Paulo II me curou. Foi obra de Deus, graças à intercessão dele. Estava doente e me curei. Agora, corresponde à Igreja decidir e reconhecer se se trata ou não de um milagre", disse a religiosa durante entrevista coletiva, em março de 2007.

Na lista divulgada pelo Vaticano, também se encontra o Papa Pio XII (Eugenio Pacelli), que exerceu papel fundamental no auxílio aos judeus perseguidos pelos nazistas durante a II Guerra Mundial e apontou os perigos do comunismo soviético.

O comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé precisa as autorizações:

"As virtudes heroicas do Servo de Deus João Paulo II (Karol Wojtyla) Sumo Pontífice, nascido aos 18 de maio de 1920 ,em Wadowice (Polonia), e falecido em Roma, aos 2 de abril de 2005".

"As virtudes heroicas do Servo de Deus Pio XII (Eugenio Pacelli), Sumo Pontífice, nascido em Roma, aos 2 de março de 1876 e falecido em Castelgandolfo, aos 9 de outubro de 1958"

Fonte: Canção Nova e Vatican Information Service

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Papa faz novo apelo pela preservação do meio ambiente

O Papa Bento XVI fez hoje, 17, um novo apelo pela preservação do meio ambiente e pela pesquisa de energias alternativas. O pedido foi feito ao receber um grupo de embaixadores, no Vaticano, para a apresentação de suas credenciais.

Foram recebidos os embaixadores de Dinamarca, Uganda, Sudão, Quênia, Cazaquistão, Bangladesh, Finlândia, Letônia e, pela primeira vez, dos Emirados Árabes Unidos. Trata-se da primeira audiência a um embaixador deste país desde o estabelecimento de relações diplomáticas entre os dois Estados, em 31 de maio de 2007.

Em seu discurso, Bento XVI enfatizou que o problema do meio ambiente deve ser enfrentado em nível internacional e devem ser colocados limites à exploração dos recursos, buscando novos modelos de desenvolvimento.

Em outros trechos do discurso, Bento XVI reitera o papel que cada religião pode desempenhar na promoção da paz, porque reconhecer Deus como Criador do homem, de todos os homens sem distinção, está na base do respeito recíproco.

O diálogo inter-religioso contribui para o desenvolvimento de um mundo mais humano e equilibrado, e a religião deve ter o justo papel na vida de cada nação. Ao mundo político e econômico, pede-se que coloque o homem em primeiro lugar.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

São José Manyanet y Vives 1833-1901



Fundou as Congregações:
Filhos da Sagrada Família Jesus, Maria e José, e a Congregação das Missionárias Filhas da Sagrada Família de Nazaré

José Manyanet y Vives nasceu, em 7 de janeiro de 1833, no seio de uma família numerosa e cristã, em Tremp, Lleida, Espanha. Inteligente, mas pobre, para completar os seus estudos secundários teve de trabalhar na Escola Pia de Barbastro, e os eclesiásticos completou nos seminários diocesanos de Lleida e Urgell. Foi ordenado sacerdote em 1859.

A preocupação com a formação moral e cristã das famílias era, sem dúvida, sua motivação maior. Sua grande aspiração era que "todas as famílias imitassem e bendizessem a Sagrada Família de Nazaré"; por isso queria formar "uma Nazaré em cada lar", fazer de cada família uma "Santa Família". Após anos de intenso trabalho na diocese de Urgell, a serviço do bispo, quando já ocupava o cargo de secretário de visita pastoral, sentiu-se chamado por Deus para fundar duas congregações religiosas.

Contando com o apoio do bispo, em 1864 fundou a Congregação dos Filhos da Sagrada Família Jesus, Maria e José, e, dez anos depois, a Congregação das Missionárias Filhas da Sagrada Família de Nazaré, cuja missão era imitar, honrar e propagar o culto à Sagrada Família de Nazaré e procurar a formação cristã das famílias, principalmente por meio da educação e instrução católica da infância e juventude e do ministério sacerdotal.

Promoveu a construção do Templo Expiatório da Sagrada Família, em Barcelona, destinado a perpetuar as virtudes e exemplos da Família de Nazaré e a ser o lar universal das famílias. A obra é do arquiteto servo de Deus Antônio Gaudí. Impulsionado por este carisma, escreveu várias obras; fundou a revista "A Sagrada Família"; as associações laicas dos Camareiros e Camareiras da Sagrada Família, hoje Associações da Sagrada Família, vinculadas aos seus institutos para se tornarem discípulos, testemunhas e apóstolos do mistério de Nazaré.

Peregrinou em Lourdes, Roma e em Loreto para aprofundar-se no carisma da Família de Nazaré. De tal modo que o próprio carisma lhe penetra por toda a vida, pautada no mistério de uma vocação evangélica expressa nos exemplos de Jesus, Maria e José no silêncio de Nazaré.

Padre José Manyanet pregou, abundantemente, a Palavra de Deus e suas obras foram crescendo apesar das grandes dificuldades. Teve uma vida de dolorosos sofrimentos por causa das doenças corporais que o atingiram e o atormentaram ao longo dos anos. Os últimos dezesseis anos ele conviveu com o que chamava de "as misericórdias do Senhor": chagas abertas espalhadas pelo corpo. No dia 17 de dezembro de 1901, o fundador foi, serenamente, para a casa do Pai. Seus restos mortais descansam na capela-panteão do Colégio Jesus, Maria e José, onde morreu, em Barcelona.

Continuamente acompanhados pela oração e agradecimento de seus filhos e filhas espirituais e de inumeráveis jovens, crianças e famílias que se aproximaram de Deus atraídos por seu exemplo e seus ensinamentos. Atualmente, os dois institutos estão em vários países da Europa, nas duas Américas e África.

A fama de santidade que o acompanhou em vida se estendeu por todos esses lugares. Foi beatificado pelo papa João Paulo II em 1984. A sua festa foi fixada pela Congregação para o Culto dos Santos em 16 de dezembro. O novo calendário litúrgico, entretanto, coloca esta festa em 17 de dezembro. O mesmo pontífice declarou santo José Manyanet y Vieves em 2004.


Fonte: Paulinas.org.br

Na Sala Paulo VI, no Vaticano, o Papa Bento XVI acolheu fiéis e peregrinos, nesta quarta-feira, 16, para mais uma Audiência Geral. Em sua Catequese, o Papa prosseguiu seus ensinamentos sobre os grandes pensadores e homens do século XII.

Hoje, falou sobre João de Salisbúria, que nasceu na Inglaterra e foi eleito Bispo de Chartres já idoso, exercendo seu ministério até a morte.

Ao comparar a sociedade do tempo de João de Salisbúria com a atual, o Pontífice alertou, que mesmo cerca de 900 anos depois, o homem de hoje têm desafios e problemas idênticos, como por exemplo, comunicar muito e dizer pouco. "As nossas palavras devem ser ricas de sabedoria, isto é, inspiradas pela verdade, a bondade e a beleza. Muitos, em nossos dias, pensam que a razão pode ter opiniões, mas não certezas; e, menos ainda, certezas comuns a todos.

Defendem que tudo é relativo. Mas não! Segundo João, o nosso teólogo e bispo, existe também uma verdade objetiva e imutável, que tem a sua origem em Deus e foi, por Ele, semeada nas suas criaturas. É acessível à razão humana e tem a ver com a vida prática e social. Trata-se de uma lei natural, na qual se devem inspirar as leis positivas da sociedade para promoverem o bem comum".

Durante o discurso, o Santo Padre relatou a vida do bispo, que recebeu sua formação nas escolas mais importantes da época, ou seja, Paris e Chartres. Completados seus estudos, foi conselheiro dos distintos prelados da Sé de Cantuária, colocando à disposição deles seus amplos conhecimentos e seus dotes diplomáticos.


Das obras de João de Salisbúria, duas se destacam por sua atualidade. A primeira, intitulada Metaloghicon, é centralizada na defesa da cultura como a conjunção entre a eloqüência e a sabedoria. Hoje, os inúmeros instrumentos e meios de comunicação necessitam de mensagens dotadas de sabedoria e inspirados na verdade.

Na segunda obra, dedicada ao homem de governo e intitulada "Polycráticus", sobressai o tema da relação entre a lei natural e o ordenamento jurídico. Colocar no centro de toda a ação social a verdade objetiva do homem continua sendo uma necessidade iniludível.


No final da Catequese, o Santo Padre falou aos peregrinos em diversos idiomas e dirigiu uma saudade especial aos fiéis de língua portuguesa: "Saúdo, com afeto, a todos vós, amados peregrinos de língua portuguesa, desejando que vos deixeis guiar pela voz de Deus que vos chama, através da consciência, a uma vida santa e rica de boas obras. Confiando à Virgem Mãe esta vossa peregrinação que vos prepara para o Natal, invoco, com a minha Bênção sobre os vossos passos e a vossa família, a abundância das graças do Divino Salvador".


Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano


terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Papa alerta sobre responsabilidade com meio ambiente

Nesta terça-feira, 15, foi divulgada a mensagem do Papa Bento XVI para o 43° Dia Mundial da Paz, que acontece no dia 1º de janeiro de 2010. Com o título "Se queres a paz, cuidas da criação", o Papa ressalta a responsabilidade das sociedades e governos com o meio ambiente.

O Pontífice também chama atenção para a atual degradação ambiental como fruto de questões relacionadas ao conceito existente de desenvolvimento e da relação do homem com seu semelhante e com a natureza. Por isso, destaca o Santo Padre, "é decisão sensata realizar uma revisão profunda e clarividente do modelo de desenvolvimento e também refletir sobre o sentido da economia e dos seus objetivos, para corrigir as suas disfunções e deturpações".

Ao falar ainda das causas da crise ecológica, Bento XVI enfatiza que ela é resultado da falta de projetos políticos e da busca de "míopes interesses econômicos". Por fim, o Papa ressalta o convite que a Igreja faz para que a humanidade trate a questão ambiental de modo equilibrado, respeitando a "gramática" que o Criador imprimiu em sua obra, na qual o homem deve ser guardião e administrador responsável.

O documento é publicado na reta final da 15ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), em Copenhague, na Dinamarca, que busca um acordo global para frear os efeitos das mudanças climáticas.


Fonte: Canção Nova

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Sacerdote que não reza "morre por desnutrição", diz Dom Cláudio

O prefeito da Congregação para o Clero, Cardeal Dom Cláudio Hummes, escreveu uma carta aos presbíteros de todo o mundo, na qual enfatiza que o sacerdote que não se alimenta da oração adoece e "morre por desnutrição".

"Realmente, sem o alimento essencial da oração, o presbítero adoece, o discípulo não encontra força para seguir o Mestre e, assim, morre por desnutrição. Consequentemente, o seu rebanho se dispersa e, por sua vez, morre".

Na carta, escrita por ocasião do Ano Sacerdotal, Dom Cláudio destaca que os fiéis devem rezar "por seu pastor" e quando o sacerdote perceber que sua vida de oração enfraquece precisa "dirigir-se ao Espírito Santo e implorá-Lo com ânimo de pobre".

"O Espírito reacenderá o fogo em seu coração. Reacenderá a paixão e o encanto para com o Senhor. Este está sempre ali e deseja fazer a ceia com quem lhe abre a porta", ressaltou.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

domingo, 13 de dezembro de 2009

Colômbia: arcebispo de Medellín rechaça ameaças contra bispo auxiliar

O arcebispo de Medellín, Dom Alberto Giraldo Jaramillo, protestou esta quarta-feira contra a ameaça de morte lançada contra um de seus bispos auxiliares, Dom Víctor Manuel Ochoa Cadavid.

Em comunicado, o arcebispo afirma que na semana passada, “com aparência de um presente de Natal, chegou à Cúria uma ameaça contra a vida de Dom Víctor”.


Tratava-se de projéteis, uma inscrição contra ele, junto a uma foto sua e uma nota de alusão à morte em 2002 de Dom Isaías Duarte Cancino, em Cali.


“Vimos que a ameaça era séria e representava perigo para sua vida”, disse Dom Ochoa, que, após consultar o núncio apostólico, decidiu que era mais prudente que o bispo saísse da arquidiocese.


De acordo com dados da Conferência Episcopal da Colômbia, desde 1984, 16 bispos, 48 sacerdotes, 3 religiosas e 5 religiosos receberam ameaças de morte.


O secretário de governo de Medellín, Juan Diego Vélez, disse que se revisaram as medidas de segurança em torno do clero e se iniciou a investigação necessária para saber de onde vieram as ameaças.


Fonte: Zenit

Menino Jesus que colocamos no presépio é coração do mundo, diz Papa

A verdadeira alegria é sentir que a nossa existência pessoal e comunitária é visitada e enchida por um grande mistério, o mistério do amor de Deus. Foi o que afirmou o Papa Bento XVI no Ângelus deste domingo, 13, aos cerca de 50 mil peregrinos reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano.

“Para nos alegrarmos precisamos não só de coisas, mas de amor e de verdade. Precisamos de um Deus próximo de nós que aquece o nosso coração e responde às nossas expectativas profundas. Este Deus se manifestou em Jesus nascido da Virgem Maria. Portanto, aquele Menino Jesus que colocamos na gruta ou no presépio é o centro de tudo, é o coração do mundo”, salientou o Papa.

Ao pedir a oração dos fiéis, Bento XVI pediu que cada homem, a exemplo da Virgem Maria, possa acolher como centro da própria vida o Deus que se fez Menino, fonte da verdadeira alegria. "A Mãe Igreja, enquanto nos acompanha para o Santo Natal, nos ajuda a redescobrir o sentido e o gosto da alegria cristã, tão diferente daquela do mundo", completou.

Na ocasião o Santo Padre também abençoou as imagens do Menino Jesus, que depois serão colocadas nos presépios das famílias, das escolas e das paróquias.

Depois da recitação do Ângelus, o Santo Padre recordou quatro missionários mortos nos últimos dias, em diversas regiões da África, e invocou a paz e reconciliação para o mundo: "Esta semana chegaram tristes notícias sobre a morte de quatro missionarios. Trata-se dos padres Daniel Cizimya, Luís Blondel e Gerry Roche e da Irmã Denise Kahambu. Foram testemunhas fiéis do Evangelho que souberam anunciar com coragem também com o risco da própria vida".

Por fim, o Pontífice manifestou sua proximidade às famílias e comunidades que vivem esta dor, convidando todos a se unirem à sua oração para que o Senhor os acolha em Sua Casa, console todos aqueles que chorama a sua perda e traga com a sua vinda reconciliação e paz.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Encontro é motivo de esperança para católicos vietnamitas

O Papa Bento XVI recebeu nesta sexta-feira, 11, o presidente da República Socialista do Vietnã, Nguyen Minh-Triet. Este é o primeiro encontro entre o presidente vietnamita e o Santo Padre.

Em um comunicado divulgado pela sala de imprensa da Santa Sé, o Vaticano expressa sua satisfação com a visita. "Um passo significativo para o avanço das relações bilaterais com o Vietnã e desejou que as questões pendentes possam ser resolvidas o mais depressa possível".

A nota ainda especifica que as conversas cordiais "permitiram tocar algumas questões relativas à cooperação entre a Igreja e o Estado", especialmente à luz da mensagem enviada pelo Santo Padre à Igreja no Vietnã por ocasião da abertura do Ano Jubilar .


De acordo com o presidente da Conferência Episcopal Vietnamita, Dom Pierre Nguyen Van Nhon, se trata de um evento que "enche de esperança" o coração dos católicos do país, que abrirá novas perspectivas para o Vietnã e para a Igreja Católica.

"Estamos conscientes de que a Boa Nova foi semeada pelos missionários nos séculos passados e que a nossa Igreja nasceu do sangue dos nossos antigos mártires. Hoje queremos ser dignos da graça das nossas origens", afirmou Dom Pierre.

Por isso, acrescentou o prelado, o desejo é que o encontro ressalte que a Igreja não pretende, de modo algum, substituir-se aos responsáveis governamentais. "Desejamos somente, em espírito de diálogo e colaboração respeitosa, poder dar uma justa contribuição à vida do país, a serviço de todo o povo", declarou Dom Pierre.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

Missa por um Natal Solidário

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Ratificado acordo entre a Santa Sé e o Brasil


Esta manhã no Palácio Apostólico Vaticano, realizou-se o intercâmbio dos instrumentos de ratificação do Acordo entre a Santa Sede e a República Federativa do Brasil, assinado em 13 de novembro de 2008, no que, entre outras coisas, reconhece o status jurídico da Igreja Católica neste país, assim como o ensino religioso nas escolas públicas.

Por parte da Santa Sé, lê-se no comunicado, participou no ato o Arcebispo Dominique Mamberti, Secretário para as Relações com os Estados, e por parte o Brasil, o Embaixador Luiz Felipe de Seixas Corrêa.

A nota explica que "o Acordo, que consolida ulteriormente os tradicionais vínculos de amizade e de colaboração existentes entre as duas partes, compõe-se de um preâmbulo e de vinte artigos, que disciplinam vários âmbitos, entre eles, o status jurídico da Igreja Católica no Brasil, o reconhecimento dos títulos de estudo, o ensino religioso nas escolas públicas, o matrimônio canônico, o regime fiscal".

Do mesmo modo, precisa que "com a cerimônia desta manhã, entra em vigor o Acordo".

Fonte: ACI DIGITAL

Papa condena Teologia da Libertação e bispos repercutem

Em discurso dirigido aos bispos dos Regionais Sul 3 e 4 (RS-3 e RS-4) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Bento XVI condenou os "princípios enganadores da teologia da libertação" (TL).

Na tarde desta quarta-feira, 10, o noticias.cancaonova.com conversou, por telefone, com os presidentes dos Regionais. Os bispos brasileiros ainda estão em Roma (Itália) e destacam que os encontros com o Papa redobram o ardor no trabalho da evangelização.

"O Santo Padre destacou o abuso, em alguns setores da Igreja, daqueles que insistem em fazer uma análise do Evangelho a partir de elementos marxistas", analisa o presidente do RS-4 e arcebispo de Florianópolis (SC), Dom Murilo Krieger.

Já o presidente do RS-3 e bispo de Rio Grande (RS), Dom José Mário Stroher, complementa que "o discurso do Papa destaca a necessidade de uma evangelização legítima, que não se deixe levar por outras análises".

Bento XVI disse, no sábado, 5, que as sequelas da TL são "mais ou menos visíveis feitas de rebelião, divisão, dissenso, ofensa, anarquia fazem-se sentir ainda, criando nas vossas comunidades diocesanas grande sofrimento e grave perda de forças vivas".

Fonte: Canção Nova

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Maria ilumina caminho da Igreja rumo a Cristo

"A própria Igreja, embora exposta aos influxos negativos do mundo, encontra em Maria a estrela para se orientar e seguir a rota indicada por Cristo", ressaltou nesta terça-feira, 8, o Papa Bento XVI.

Durante a recitação do Ângelus, por ocasião da Festa da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, o Papa também lembrou que Maria é a Mãe da Igreja, como proclamaram solenemente o Papa Paulo VI e o Concílio Vaticano II.

O Sumo Pontífice classificou essa solenidade como "uma das mais belas festas" de Nossa Senhora. Bento XVI colocou duas perguntas a esse propósito: "O que significa que Maria é 'Imaculada'? E o que este título diz para nós?"

"Uma resposta vem, antes de tudo, dos textos bíblicos da liturgia deste dia. Depois do pecado original, Deus dirige-se à serpente, que representa Satanás, amaldiçoa-a e acrescenta a promessa: 'Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a sua, esta te pisará a cabeça e tu a atingirás no calcanhar'.

O Papa continua: "É o anúncio de uma revanche: nos primórdios da criação, Satanás parece ter prevalecido, mas virá um filho de mulher, a qual lhe esmagará a cabeça. Assim, mediante a descendência da mulher, o próprio Deus vencerá. Esta mulher é a Virgem Maria, da qual nasceu Jesus Cristo que, com o seu sacrifício, derrotou de uma vez para sempre o antigo tentador".

É por isso que, em tantos quadros e imagens da Imaculada - observou ainda o Papa - , ela é representada no ato de esmagar uma serpente sob os seus pés.

Sempre obediente à vontade do Senhor, plenamente à disposição do projeto divino, Maria "é a nova Eva, a verdadeira mãe de todos os viventes, isto é, de todos os que, pela fé em Cristo, recebem a vida eterna".

O Papa também comentou o episódio da Anunciação. Referindo-se à Virgem Maria, ele disse:

"Ela aparece como a humilde e autêntica filha de Israel, verdadeiro (monte) Sião, em que Deus quer pôr a sua morada. É o rebento do qual deve nascer o Messias, o Rei justo e misericordioso.

Na simplicidade da casa de Nazaré vive o resto puro de Israel, do qual Deus quer fazer renascer o seu povo, como uma nova árvore que estenderá os seus ramos pelo mundo inteiro, oferecendo a todos os homens frutos bons de salvação".

Contrariamente a Adão e Eva – acrescentou o Sumo Pontífice – , "Maria permanece obediente à vontade do Senhor, e é com todo o ser que ela pronuncia o seu sim e se coloca plenamente à disposição do projeto divino".

Quando experimentarmos a nossa fragilidade e a sugestão do mal, Bento XVI convida a se dirigir a Maria, para que o nosso coração receba luz e conforto. "E no meio das provações da vida, nas tempestades que fazem vacilar a fé e a esperança, recordemo-nos que somos seus filhos e que as raízes da nossa existência se encontram na infinita graça de Deus".

O Papa concluiu recordando que, nesta tarde, junto da imagem da Praça de Espanha, confiará à Virgem imaculada todos e "cada um, as nossas famílias e comunidades, toda a Igreja e o mundo inteiro".

Fonte: Rádio Vaticano

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Laicidade não significa negar a transcendência da escola, adverte Bento XVI

O papel das escolas católicas é reivindicado pelos direitos humanos, esclarece.

Bento XVI esclareceu que a laicidade não significa renunciar ou desterrar todo elemento transcendente na educação, em particular nas escolas públicas.

O pontífice, ainda que não tenha entrado na polêmica da apresentação dos crucifixos nas escolas públicas, tratou do tema de fundo ao receber neste sábado os bispos dos Regionais Sul 3 e Sul 4 (Estados do Rio Grande de Sul e Santa Catarina) da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

Segundo disse o Papa aos prelados, “uma sadia laicidade da escola não implica na negação da transcendência, nem uma mera neutralidade face àqueles requisitos e valores morais que se encontram na base de uma autêntica formação da pessoa, incluindo a educação religiosa”.

Neste contexto, o bispo de Roma falou também da função exercida pela escola católica, que “não pode ser pensada nem vive separada das outras instituições educativas”.

“Está ao serviço da sociedade – esclareceu: desempenha uma função pública e um serviço de pública utilidade, não reservado apenas aos católicos, mas aberto a todos os que queiram usufruir de uma proposta educativa qualificada.”

Segundo o Santo Padre, “o problema da sua paridade jurídica e econômica com a escola estatal só poderá ser corretamente impostado se partirmos do reconhecimento do papel primário das famílias e subsidiário das outras instituições educativas”.

Ele baseou sua proposta no artigo 26 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, quando diz: “Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos”.

“O empenho plurissecular da escola católica situa-se nesta direção, impelido por uma força ainda mais radical, ou seja, a força que faz de Cristo o centro do processo educativo”, indicou.

No início do encontro, Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, arcebispo de Florianópolis e presidente da Conferência Episcopal Regional Sul 4, constatou que no seu país a tarefa educativa da Igreja acontece “em um mundo marcado pelo relativismo e pelo individualismo”, como acontece em outras nações ocidentais.

Fonte: Zenit

Espanhóis preparam grande mobilização para defender a família

No domingo 27 de dezembro, último domingo do ano, milhares de espanhóis se reunirão na Praça de Lima, de Madrid, para celebrar a festividade da Sagrada Família sob o lema "O futuro da Europa passa pela família".

Em 1982, o Papa João Paulo II pronunciou esta frase na mesma praça madrilenha. Este ano, espera-se que o Papa Bento XVI dirija uma mensagem aos católicos reunidos na capital da Espanha e logo se celebrará uma Eucaristia.

Este é o terceiro ano consecutivo em que os madrilenhos celebrarão ao ar livre uma Missa pela festa da Sagrada Família.

Segundo os organizadores, este ano a Missa terá uma dimensão européia, já que anunciaram que se estima a presença de pelo menos 15 mil peregrinos estrangeiros junto com Cardeais de todo a Europa.

Entre os assistentes figuram o Cardeal Philippe Barbarin, de Lyon (França); Cardeal Péter Erdö, de Budapeste (Hungria); Cardeal Georg Maximilian Sterzinsky, de Berlim (Alemanha); Cardeal Joachim Meisner, de Colônia (Alemanha); Cardeal André Vingt-Trois, de Paris (França); Cardeal Ennio Antonelli, Presidente do Conselho Pontifício para a Família; Cardeal Paul Josef Cordes, presidente do Pontifício Conselho Cor Unum; e Cardeal Stanislaw Rylko, presidente do Conselho Pontifício para os Leigos.

Fonte: ACI

domingo, 6 de dezembro de 2009

Bispos de Santa Catarina se encontram com Bento XVI

Justificar
O Papa Bento XVI recebeu, neste sábado, 5, os bispos do Regional Sul 4 (Santa Catarina) da CNBB. O Papa iniciou agradecendo ao Arcebispo de Florianópolis, em nome de todos os bispos e do povo catarinense.

Em seu discurso, o Santo Padre falou sobre cultura e ensino e recordou as diversas congregações religiosas que fundaram, no Brasil, as universidades: "Estas não são uma propriedade de quem as fundou ou de quem as freqüenta, mas expressão da Igreja e do seu patrimônio de fé".

Em seguida, o Papa ressaltou "as comunidades acadêmicas que nasceram à sombra do humanismo cristão e nele se inspiram, honrando-se do nome católicas". Bento XVI pediu ainda que a escola possa , "numa convicta ação conjunta com as famílias e com a comunidade eclesial, promover aquela unidade entre fé, cultura e vida que constitui a finalidade fundamental da educação cristã".

O Pontífice sublinhou que a escola católica não pode ser pensada nem vivida separadamente das outras instituições educacionais. "Está ao serviço da sociedade: desempenha uma função pública e um serviço de pública utilidade, não reservado apenas aos católicos, mas aberto a todos os que queiram usufruir de uma proposta educacional qualificada", destacou o Papa.

A partir do artigo 26 da Declaração Universal dos Direitos Humanos - "Os pais têm direito de prioridade na escolha do gênero de educação a ser ministrada aos próprios filhos" - o Santo Padre ressaltou que o "empenho plurissecular da escola católica situa-se nesta direção, impelido por uma força ainda mais radical, ou seja, a força que faz de Cristo o centro do processo educativo".

Bento XVI recordou também que em agosto deste ano Instrução Libertatis nuntius da Congregação da Doutrina da Fé, sobre alguns aspectos da teologia da libertação, completou 25 anos.

Por fim, o Papa concluiu pedindo ao Senhor que derrame a abundância da sua Luz sobre todas as escolas brasileiras, confiando seus protagonistas à proteção da Virgem Maria. O Santo Padre concedeu aos sacerdotes, aos religiosos e religiosas, aos leigos engajados e a todos os fiéis brasileiros das dioceses catarinenses a sua bênção apostólica.

Fonte: Rádio Vaticano

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Vaticano e Rússia decidem estabelecer plenas relações diplomáticas

O Vaticano e a Federação Russa decidiram "estabelecer plenas relações diplomáticas", informa um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé após o encontro entre o Papa Bento XVI e o Presidente da Federação Russa, Dmitrij Medvedev, nesta quinta-feira, 3.

De acordo com o mesmo comunicado os chefes de estado manifestaram a sua satisfação pelas relações cordiais existentes.

Bento XVI e Medvedev, analisaram a situação econômica e política internacional, à luz da Encíclica papal "Caritas in Veritate", com a qual o líder russo foi presenteado.

Entre os assuntos, estiveram os "atuais desafios à segurança e à paz e, temas culturais e sociais de interesse comum, como o valor da família e a contribuição dos cristãos para a vida da Rússia", indica o comunicado.


"O presidente Medvedev disse a Bento XVI que tinha assinado um decreto sobre o estabelecimento de relações diplomáticas plenas com o Vaticano", afirmou a porta-voz da presidência russa, Natalia Timakova.

O líder russo "pediu ao ministro dos negócios estrangeiros para liderar as conversações com vista ao estabelecimento de relações e elevar as representações diplomáticas para o nível de núncio apostólico e embaixador", acrescentou.

Desde 1990 que os dois Estados mantinham laços diplomáticos abaixo do grau de embaixador.

Esta foi a primeira visita de Medvedev ao Vaticano. Antes de se reunir com o Papa, o presidente se encontrou com o secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, que foi acompanhado pelo Arcebispo Dominique Mamberti.

Além da versão em russo da Encíclica "Caritas in Veritate", Bento XVI ofereceu ao presidente da Rússia uma litografia de Bernini, datada de 1645, sobre a Basílica de São Pedro.

O presidente russo deu ao Papa uma caixa decorada com a imagem da Catedral de Cristo Salvador, em Moscovo.

Dmitrij Medvedev também ofereceu 22 novos volumes de uma enciclopédia Ortodoxa. O presidente anterior da Rússia, Vladimir Putin, tinha presenteado Bento XVI com os primeiros livros da colecção, durante o encontro ocorrido em 2007.

Fonte:Canção Nova e Rádio Vaticano

Missa por um Natal Solidário - em Curitiba, PR




Missa por um Natal Solidário - em Curitiba, PR
Descrição:

Traga um quilo de alimento, uma vela e os nomes dos seus familiares para a Manjedoura de Jesus!

Horários: 17h30: Adoração - 18h30: Missa - 20h00: Show de Evangelização!


Local: Praça Nossa Senhora de Salete - Palácio Iguaçu, no Centro Cívico de Curitiba-PR

Data e Hora: 19 de Dezembro de 2009, às 17h30

Bento XVI se encontrará com presidente do Vietnã na próxima semana

O presidente do Vietnã, Nguyen Minh Triet, encontrará o Papa Bento XVI no Vaticano no próximo dia 11 de dezembro. A notícia foi divulgada nesta quinta-feira, 3, pelo porta-voz do Ministério do Exterior vietnamita, Nguyen Phuong Nga.

De acordo com o porta-voz, no encontro, Bento XVI e o presidente do Vietnã conversarão sobre “como reforçar as relações entre o Vietnã e o Vaticano que nos últimos tempos registraram muitos progressos".

A Santa Sé e o Vietnã no momento não mantêm relações diplomáticas. Mas desde o histórico encontro entre o primeiro-ministro Nguyen Tan Dung e Bento XVI, ocorrido em janeiro de 2007, foram dados passos significativos de aproximação.

Controlada estreitamente pelo regime comunista, a comunidade católica vietnamita é a segunda mais importante do sudeste asiático, depois das Filipinas. O Vietnã tem 84 milhões de habitantes, destes seis milhões são católicos.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Morre bispo emérito de Uberlândia

Moreu na madrugada desta quinta-feira, 3, o bispo emérito de Uberlândia (MG), Dom Estevão Cardoso de Avelar. Seu corpo está sendo velado na Catedral Santa Teresinha, no centro de Uberlândia. Missas serão celebradas a cada duas horas. A última será às 20h, seguida de sepultamento do corpo na cripta da catedral.

“Dom Estêvão era um homem muito vivaz, empenhado na evangelização, na luta pela justiça e nas causas sociais em espírito de profunda fé”, disse o Bispo Diocesano de Uberlândia, Dom Paulo Francisco Machado.



Dom Estêvão fez 92 anos no dia 4 de novembro. Nascido na cidade mineira de Três Corações, foi ordenado padre em 6 de outubro de 1946, tendo feito seus estudos de filosofia no seminário de Mariana e de teologia na Ordem Dominicana, finalizado na França.



Ordenado bispo em 26 de setembro de 1971, Dom Estêvão foi bispo prelado de Marabá e de Conceição do Araguaia, no estado do Pará. Em 1978, foi transferido para a Diocese de Uberlândia até se tornar emérito em 1992. Foi também vice-presidente do Regional Norte 2 da CNBB (Minas Gerais e Espírito Santo). Seu lema era "Amou-os até o fim".



Antes de bispo, Dom Estevão foi mestre de noviços, prior do Convento de Belo Horizonte (MG) e do Convento do Rio de Janeiro (RJ), e mestre de Estudantes do Convento de São Paulo (SP).



“Dom Estêvão era um grande pregador. Foi ele quem imprimiu a marca da Diocese de Uberlândia”, disse Dom Paulo. Mesmo com a saúde debilitada, Dom Estêvão fez questão de participar, no ano passado, da posse de Dom Paulo em Uberlândia. “Ele saiu da celebração aplaudido pela multidão, o que demonstra como era querido pelo povo”, completou Dom Paulo.



Fonte: CNBB


quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Verdadeira alegria está em amar a Deus e ao próximo, diz Papa

"Amar Deus e, por seu amor, amar o nosso próximo. Somente assim poderemos encontrar a verdadeira alegria, antecipação da bem-aventurança eterna". Foi o que disse o Papa Bento XVI na Catequese desta quarta-feira, 2, dedicada a Guilherme de Saint-Thierry, abade cisterciense.

A natureza humana, na sua mais profunda essência, é feita para amar, destacou Bento XVI. Porém, o homem só consegue realizar este objetivo, sincera, autêntica e gratuitamente, aprendendo na escola de Deus, que é Amor.

"A vocação do homem é tornar-se como Deus, que o criou a sua imagem e semelhança. A imagem de Deus presente no homem o move à semelhança, isto é rumo, à uma identidade cada vez mais plena entre a própria vontade e aquela divina. Esta perfeição, que Guilherme chama unidade de espírito, se alcança não somente com esforço pessoal, mas é necessário uma outra coisa: se alcança por ação do Espírito Santo, que habita na alma e a purifica, a plenifica transforma em caridade cada impulso e cada desejo de amor presente no homem", explica Bento XVI.

Guilherme nasceu em Lieja por volta do ano 1080. Dotado de grande inteligência e de um amor inato pelo estudo, freqüentou uma das escolas mais famosas de seu tempo, em Reims (sua cidade natal), na França.

Amigo e biógrafo de São Bernardo de Claraval, Guilherme de Saint-Thierry, após ter sido abade em um mosteiro beneditino, decidiu fazer-se cisterciense, dedicando-se à contemplação orante dos mistérios de Deus e à composição de escritos de literatura espiritual.

Para o Papa, podemos considerá-lo como o "Cantor do amor, da caridade", pois, segundo o abade, a "força principal que move o espírito humano é o amor".

Após a catequese, o Papa recordou que hoje se celebram os 25 anos da promulgação da Exortação Apostólica Reconciliatio et paenitentia, que chamou à atenção a importância do sacramento da penitência na vida da Igreja.

Nesta significativa data, Bento XVI citou algumas figuras extraordinárias de "apóstolos do confessional", incansáveis dispensadores da misericórdia divina: São João Maria Vianney, São José Cafasso, São Leopoldo Mandić, São Pio da Pietrelcina.

"Que o testemunho de fé e de caridade encoraje vocês, caros jovens, a fugirem do pecado e a projetarem seu futuro como um generoso serviço a Deus e ao próximo. Que ajude vocês, queridos enfermos, a experimentarem no sofrimento a misericórdia de Cristo crucificado. E peço a vocês, queridos noivos, a criarem na família um clima constante de fé e de recíproca compreensão", afirmou o Pontífice.

Por fim, aos sacerdotes, especialmente neste Ano Sacerdotal, o Papa faz votos de que o exemplo desses santos, seja para eles e para todos os cristãos um convite a confiar sempre na bondade de Deus, aproximando-se e celebrando com confiança o Sacramento da Reconciliação.

Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

Página no facebook

Página no facebook
Curta nossa página no facebook, clique na imagem acima!