"Por isso, digo-vos: não tenhais medo de construir a vossa vida na Igreja e com a Igreja! Sede orgulhosos do amor a Pedro e à Igreja que lhe foi confiada. Não vos deixeis enganar por aqueles que desejam opor Cristo à Igreja! Só existe um rochedo sobre o qual vale a pena construir a própria casa. Esta rocha é Cristo. Só há uma pedra sobre a qual vale a pena fundamentar tudo. Esta pedra é aquele a quem Cristo disse: 'Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja' (Mt 16, 18)".

Papa Bento XVI.
Discurso durante o encontro com os jovens no parque de Błonia. Cracóvia, 27 de Maio de 2006.

Visite nosso canal no YouTube!

Visite nosso canal no YouTube!
Clique na imagem

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Igreja e ativistas querem vetar candidatos com 'ficha suja'

Brasília, 5 fev (EFE).- O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), liderado pela Igreja Católica e por ativistas sociais, pressionou hoje novamente o Congresso para não modificar o projeto de lei que pretende vetar a participação nas eleições de outubro dos candidatos que enfrentam processos judiciais.

A organização disse em comunicado que está aberta ao diálogo para discutir o projeto, também chamado de "Lei da ficha limpa" e que está na pauta de votação da Câmara dos Deputados. No entanto, se mostrou contrária a "mudanças radicais" da iniciativa, como propõem congressistas governistas e de oposição.

O projeto de lei foi entregue em setembro passado ao Congresso com o apoio de um milhão e meio de assinaturas colhidas pelo MCCE.

A votação está prevista para março. Para que esteja em vigor nas eleições presidenciais, legislativas e de governadores do mês de outubro, ele deve ser sancionado no máximo em junho.

"A sociedade brasileira espera que não ocorram novos adiamentos na discussão e aprovação desse assunto, que está em primeiro lugar na pauta de interesse de todos os cidadãos e cidadãs", apontou em comunicado o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Dimas Lara Barbosa.

O projeto contempla o veto para os candidatos condenados em primeira instância por corrupção eleitoral, captação ilícita de votos, atos eleitorais ilícitos ou desvio do dinheiro público e uma a cassação de oito anos dos direitos políticos.

Para os políticos de alto escalão protegidos por foro privilegiado, que não os permite serem julgados pela Justiça comum, a normativa proposta prevê o veto sem necessidade de uma condenação em primeira instância e só bastaria que um juiz aceitasse a denúncia. EFE

Um comentário:

mvro_mooca disse...

Amigos: Eu tive acesso à “Bibliogenese de Israel” através do portal da “Editora Biblioteca 24x7”, onde pude constatar a exatidão dos textos bíblicos recompostos, como este exemplo:
(JN) – JONAS: É A VOCAÇÃO DE JONAS, SUA FUGA E O SEU CASTIGO

(Estas 40 letras e estes 4 sinais, recompostos, dizem que):

(JN) ESSA FÉ AGIU AO JUSTO: DEUS JÁ AGE CONOSCO, NA AÇÃO

É na prática dessa Santa Ação que nos tornamos no povo de Israel, no grande povo idealizado por Deus. Marcus Vinicius

Página no facebook

Página no facebook
Curta nossa página no facebook, clique na imagem acima!