"Por isso, digo-vos: não tenhais medo de construir a vossa vida na Igreja e com a Igreja! Sede orgulhosos do amor a Pedro e à Igreja que lhe foi confiada. Não vos deixeis enganar por aqueles que desejam opor Cristo à Igreja! Só existe um rochedo sobre o qual vale a pena construir a própria casa. Esta rocha é Cristo. Só há uma pedra sobre a qual vale a pena fundamentar tudo. Esta pedra é aquele a quem Cristo disse: 'Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja' (Mt 16, 18)".

Papa Bento XVI.
Discurso durante o encontro com os jovens no parque de Błonia. Cracóvia, 27 de Maio de 2006.

Visite nosso canal no YouTube!

Visite nosso canal no YouTube!
Clique na imagem

sexta-feira, 26 de março de 2010

Em Missão

Olá caros Irmãos.

Nessa semana Santa estarei em Missão Vocacional em Santo António do Amparo (MG), por esse motivo não postarei nenhuma notícia ou reflexões.
Rezem por mim e por essa nossa Santa Missão.
Abraços em Cristo.

"União um Cristo, Vida Feliz"





Sem. Cesar da Rocha Pires, SF

quarta-feira, 24 de março de 2010

Bento XVI diz a jovens que amor é "chave de toda a existência"

Todo o homem - criado à imagem de Deus - é feito para amar e apenas tem vida plena quando vive para o amor.

"É esta a chave de toda a existência", diz Bento XVI na mensagem que enviou aos participantes do X Encontro Internacional de Jovens por intermédio do presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, Cardeal Stanisław Ryłko.

Sobre o tema do Encontro - "Aprender a amar" -, o Papa ressaltou que "o ponto de partida de toda a reflexão sobre o amor é o mistério do próprio Deus, porque o coração da Revelação Cristã é este: Deus caritas est. Cristo, na Sua paixão, no Seu dom total, nos revelou o rosto de Deus que é Amor".

O Santo Padre recordou que a vocação para o amor se realiza de modo distinto em cada estado de vida.

As pessoas consagradas no celibato, chamadas por Deus para uma doação integral e indivisível, são "sinal eloquente do amor de Deus pelo mundo e da vocação de amar a Deus sobre todas as coisas".

Exortando os jovens a também descobrir a beleza do Matrimônio, Bento XVI alertou que, "em um contexto cultural em que muitas pessoas consideram o Matrimônio como um contrato temporário que se pode infringir, é de vital importância compreender que o verdadeiro amor é fiel, doação definitiva de si. Porque Cristo consagra o amor dos casais cristãos e se empenha com eles, esta fidelidade não somente é possível, mas é a via para entrar em uma caridade ainda maior".

O Papa também salientou que os jovens delegados do Encontro são chamados a ser testemunhas para seus contemporâneos, chamados a um papel importante na evangelização dos jovens de seus próprios países.




Fonte: Canção Nova

terça-feira, 23 de março de 2010

Jovens se reunirão em Roma para celebrar aniversário das JMJs

Na próxima quinta-feira, 25, os jovens de Roma e das cidades vizinhas se reunirão para celebrar o aniversário do início das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), que completa 25 anos no dia 28 de março, Domingo de Ramos.

O convite aos jovens foi feito pelo Papa Bento XVI no último domingo, 21, após a oração do Angelus. O Santo Padre recordou que "estas Jornadas Mundiais da Juventude foram queridas pelo venerável e amado João Paulo II. Por isso o encontro de festa reunirá a milhares de jovens provenientes de Roma e da região do Lácio".

Instituídas por João Paulo II, as Jornadas Mundiais da Juventude têm o objetivo de levar as novas gerações cristãs a entrarem em atitude de escuta da Palavra de Deus, descobrirem a beleza da Igreja e a viverem uma experiência forte de fé.


Fonte: Agência

domingo, 21 de março de 2010

"Não julgar e não condenar o próximo", pede o Papa neste domingo

"Aprendamos do Senhor Jesus a não julgar e a não condenar o próximo", foi o pedido do Papa Bento XVI, antes do Angelus deste domingo, 21, na Praça de São Pedro, no Vaticano.

O Santo Padre refletiu sobre o Evangelho deste domingo, da mulher adúltera e as palavras de Jesus: "aquele de vós que estiver sem pecado seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. "Estas palavras estão cheias da força desarmante da verdade, que abate o muro da hipocrisia e abre as consciências a uma justiça maior: a do amor, em que consiste a realização plena de cada preceito. É a justiça que salvou também Saulo de Tarso, transformando-o em São Paulo".

"Deus deseja para nós somente o bem e a vida; ocupa-se da saúde da nossa alma através dos seus ministros, libertando-nos do mal com o Sacramento da Reconciliação, para que ninguém se perca, mas todos se possam converter", acrescentou o Papa.

Neste ano sacerdotal, Bento XVI exortou os pastores a imitar São Cura d’Ars no ministério do perdão sacramental, para que os fiéis redescubram o seu significado e beleza e sejam restabelecidos pelo amor misericordioso de Deus, o qual chega ao ponto de esquecer voluntariamente o pecado para nos perdoar.

O Papa concluiu convidando todos a aprender do Senhor Jesus a não julgar e a não condenar o próximo. “Aprendamos a ser intransigentes com o pecado - a partir do nosso – e indulgentes com as pessoas. Que nisto nos ajude a santa Mãe de Deus que, isenta de qualquer culpa, é medianeira de graça para cada pecador arrependido".

Depois da recitação do Angelus o Papa recordou que no próximo domingo - Domingo de Ramos-, ocorre o 25º aniversario do inicio das Jornadas Mundiais da Juventude, uma criação do Venerável João Paulo II. Por isso, Bento XVI convidou os jovens de Roma de do Lacio a se reunirem na próxima quinta feira, 25, a partir das 19 horas, para um encontro especial de festa.


Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

sábado, 20 de março de 2010

Papa escreve aos cristãos da Irlanda, sobre abusos sexuais

“O Papa sempre foi contra a cultura da dissimulação e do silêncio”, afirmou o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, neste sábado, 20, na coletiva de imprensa, por ocasião da publicação da Carta Pastoral do Papa aos fiéis irlandeses sobre a questão dos abusos sexuais de menores por alguns membros do clero.

Padre Federico afirmou ainda, "que neste documento, o Papa expressa que, se tratando de pedofilia, não se pode calar diante da verdade e da justiça".

O Papa assinou a carta ontem, 19, na solenidade de São José, e pediu para que ela seja lida com atenção e na sua totalidade.

Na carta, o Santo Padre diz que ficou profundamente perturbado com as notícias dos abusos sexuais de crianças e jovens, e afirmou que tratam-se de "atos pecaminosos e criminais" e que a resposta dada pelas autoridades da Igreja na Irlanda, na época, foram "muitas vezes inadequadas".

"Não posso deixar de partilhar o pavor e a sensação de traição que muitos de vós experimentastes", disse o Papa. Ele explicou que decidiu escrever a carta para expressar sua proximidade, e "para vos propor um caminho de cura, de renovação e de reparação".

Bento XVI disse ainda que o problema não se resolverá em pouco tempo, mas é preciso enfrentá-lo "com coragem e determinação". "Foram dados passos em frente positivos, mas ainda resta muito para fazer. É preciso perseverança e oração, com grande confiança na força restabelecedora da graça de Deus", apontou.

De acordo com o Santo Padre, "para se recuperar desta dolorosa ferida, a Igreja na Irlanda deve, em primeiro lugar, reconhecer diante do Senhor e diante dos outros, os graves pecados cometidos contra jovens indefesos".

"Só examinando com atenção os numerosos elementos que deram origem à crise atual é possível empreender uma diagnose clara das suas causas e encontrar remédios eficazes. Certamente, entre os fatores que para ela contribuíram podemos enumerar: procedimentos inadequados para determinar a idoneidade dos candidatos ao sacerdócio e à vida religiosa; insuficiente formação humana, moral, intelectual e espiritual nos seminários e nos noviciados; uma tendência na sociedade a favorecer o clero e outras figuras com autoridade e uma preocupação inoportuna pelo bom nome da Igreja e para evitar os escândalos, que levaram como resultado à malograda aplicação das penas canônicas em vigor e à falta da tutela da dignidade de cada pessoa", destaca o Papa e completa, "é preciso agir com urgência para enfrentar estes fatores, que tiveram consequências tão trágicas para as vidas das vítimas e das suas famílias e obscureceram a luz do Evangelho a tal ponto, ao qual nem sequer séculos de perseguição não tinham chegado".

Na carta, o Papa escreve diretamente àqueles que foram vítimas dos abusos, aos membros do clero responsáveis por tais atos, aos pais das vítimas, aos bispos e ao povo da Irlanda, em geral.

O Pontífice propôs algumas medidas concretas para lidar com essa situação:
- convida todos a fazer penitência às sextas-feiras, até a páscoa de 2011, em reparação pelos pecados do abuso;
- a redescobrir a confissão e;
- dedicar particular atenção a Adoração Eucarística.

Bento XVI anunciou sua intenção de visitar a Irlanda, e agradeceu a todos os homens e mulheres que já "se comprometeram pela tutela dos jovens nos ambientes eclesiásticos".

Ao término da carta, o Papa deixou uma oração pela Igreja na Irlanda, e disse enviar a carta "com o cuidado que um pai tem pelos seus filhos e com o afeto de um cristão como vós, escandalizado e ferido por quanto aconteceu na nossa amada Igreja".


Fonte: Canção Nova Notícias

sexta-feira, 19 de março de 2010

As atitudes


"O hábito não faz o monge",

porém vestir o hábito já é meio caminho andado.
Cesar da Rocha Pires.

Reflexão da Reflexão
Quando falo que vestir o hábito já meio caminho andado, não me refiro a vestir a veste Talar literalmente, mas sim vesti-la espiritualmente, como diz aquela expressão: "vestir a camisa", ou seja abraçar a vida religiosa com amor, sendo assim, já andamos meio caminho, o resto o Senhor providenciará.

Sacerdotes têm muito a aprender com São José, diz Cardeal Bertone

“O sacerdote e o bispo têm muito a aprender com São José para desempenhar bem a sua missão de guia pastoral", disse o secretário de estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, nesta quinta-feira, 19, durante a ordenação episcopal, na Basílica Vaticana, de três Núncios Apostólicos nomeados pelo Papa Bento XVI para alguns países da África.

O cardeal acrescentou que, eles "devem ser e exercer plenamente, e com responsabilidade, a autoridade recebida, sempre conscientes da superior presença de Deus, da sua proeminente ação nos corações e na história das pessoas, e portanto, sempre capazes de indicar Ele, de orientar a Ele”.

A figura de São José foi proposta pelo Cardeal Bertone, durante sua homilia, como exemplo de “fé, confiança e fidelidade a Deus” a Dom Eugene Martin Nugent, Dom Piero Pioppo e Dom Novatus Rugambwa. Os três foram nomeados núncios, respectivamente para Madagascar e Ilhas Comores, Camarões e Guiné Equatorial, e Angola e São Tomé e Príncipe.

“Pensemos hoje na fé de José de Nazaré, cuja estatura é tão mais elevada quanto mais ele permanece escondido, silencioso, discreto ao realizar a tarefa que Deus lhe confiou, tarefa na realidade decisiva, seja no plano simplesmente humano, seja naquele histórico-salvífico. Portanto, o primeiro dom que hoje nós pedimos para os senhores que recebem a ordenação é o de uma fé genuína, profunda e forte”, disse.

O Secretário de Estado, recordando o Continente africano onde os três novos Núncios desempenharão a sua missão, referiu-se à II Assembleia Especial para a África do Sínodo dos Bispos. Um Sínodo – continuou o purpurado - que “imprimiu em toda a Igreja presente na África um novo impulso espiritual e pastoral, e é neste contexto que os senhores iniciarão a sua missão. Em todas as Nações às quais os senhores são enviados, o Evangelho já há muito tempo produziu frutos abundantes, e a grande árvore do Reino de Deus tem raízes sólidas e ramos grossos e compridos.”

O Cardeal Bertone concluiu fazendo votos aos novos Núncios Apostólicos de que eles possam dar uma contribuição iluminada e generosa ao caminho daquelas Igrejas locais e daqueles países.




Fonte: Rádio Vaticano

quarta-feira, 17 de março de 2010

Pe. Reginaldo lança livro

Aconteceu hoje (17), na sede da Associação Evangelizar é Preciso, o pre-lançamento do livro "10 respostas que vão mudar sua vida", de autoria do pe. Reginaldo Manzotti.
De acordo com o sacerdote a publicação "é um resumo de sua obra, pois contém orientações que realiza diariamente na missa e em seus programas de rádio e TV".
Distribuído pela editora Ediouro, o livro estará à venda em todo Brasil, a partir do próximo dia 21 de março.




Fonte: Mitra da Arquidiocese de Curitiba

domingo, 14 de março de 2010

Corrupção e egoísmos são obstáculos para a paz, diz Papa

Bento XVI destacou os obstáculos e os caminhos para se chegar à paz durante encontro com os bispos da Conferência Episcopal do Sudão, recebidos na manhã deste sábado, 13, por ocasião da visita ad Limina Apostolorum.

"Se a paz é plantar raízes profundas, esforços concretos devem ser feitos para diminuir os fatores que contribuem à instabilidade, particularmente a corrupção, tensões étnicas, indiferenças e egoísmos", disse.

O Pontífice acrescentou que essas iniciativas devem ser baseadas na justiça e na caridade. Além disso, destacou que tratados e acordos não são o bastante: "[Embora] indispensávéis blocos de construção no processo de paz, somente darão fruto se forem inspirados e acompanhados pelo exercício da madura e moralmente correta liderança".

O Papa ressaltou que a paz deve ser pedida a Deus. "Os efeitos da violência podem levar muitos anos para sarar; já a mudança de coração, que é condição indispensável para uma paz justa e duradoura, deve ser implorada desde já como um dom da graça de Deus".


Autoridade e diálogo

Bento XVI destacou a singularidade do papel dos bispos, que devem fomentar uma ativa vida na Igreja, incentivando-os a alavancar a educação católica como meio de "preparar pessoas leigas em particular para dar testemunho convincente de Cristo em todos os aspectos da família, vida social e política".

Após destacar o lugar da pregação e da atividade pastoral, o Santo Padre explicou como viver a autoridade. "O exercício daquela autoridade nunca deve ser visto como algo de impessoal e burocrático, precisamente porque se trata duma autoridade que nasce do testemunho".

A seguir, enfatizou que os bispos devem ser os "primeiros professores e testemunhas" da comunhão na fé e no amor de Cristo.

O Papa elogiou os esforços dos bispos sudaneses em manter boas relações com os mulçumanos, incentivando a, além das inciativas concretas, "sublinhar os valores que os cristãos têm em comum com os muçulmanos como base para aquele 'diálogo da vida', que é um primeiro passo essencial rumo ao verdadeiro respeito e compreensão inter-religiosa".


Igreja na África

A Igreja na África é uma das que apresenta o maior crescimento no globo, conforme atesta o Anuário Pontifício 2010.

Naquele continente, o número de bispos apresentou crescimento de 1,83%, o de religiosos professos teve incremento de 21,2% e os candidatos ao seminário aumentaram em 3,6%. Uma boa parte dos países apresenta um histórico de guerras, baseadas especialmente em conflitos étnicos. Nesse contexto, o Papa fez uma afirmação alentadora aos bispos do Sudão:

"Vossa fidelidade ao Senhor e os frutos do vosso trabalho em meio a dificuldades e sofrimentos são testemunho eloquente do poder da Cruz, que brilha em meio a nossas limitações e fraquezas humanas".

Fonte: Leonardo Meira, Canção Nova.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Bento XVI pede paz para Nigéria e solidariedade com Turquia

O Papa Bento XVI pediu nesta quarta-feira, 10, o fim da violência na Nigéria e expressou sua proximidade espiritual às vítimas do terremoto na Turquia, após a Catequese com os fiéis presentes na Sala Paulo VI, no Vaticano.

Sobre a situação na Nigéria, o Santo Padre enfatizou que "a violência não resolve conflitos, mas apenas acrescenta consequências trágicas" e pediu aos líderes civis e religiosos "que se esforcem para garantir a segurança e a convivência pacífica de toda a população".

"Estou profundamente próximo às pessoas atingidas pelo recente terremoto na Turquia e a suas famílias. A todos asseguro a minha oração, enquanto peço que a comunidade internacional contribua com prontidão e generosidade nos esforços de socorro.

Os meus pêsames também vão para as vítimas da violência atroz que ensanguenta a Nigéria e não poupa nem mesmo as crianças indefesas. Mais uma vez, repito, com ânimo renovado, que a violência não resolve os conflitos, mas apenas acrescenta consequências trágicas. Faço um apelo a todos que, nesse país, têm responsabilidade civil e religiosa, a fim de que se esforcem para garantir a segurança e a convivência pacífica de toda a população.

Expresso, enfim, a minha proximidade aos Pastores e aos fiéis nigerianos e rezo para que, fortes e firmes na esperança, sejam autênticos testemunhos de reconciliação".


Fonte: Bollettino della Sala Stampa della Santa Sede
(tradução de CN Notícias)

terça-feira, 9 de março de 2010

Congresso Teológico Internacional será transmitido pela internet

A Congregação para o Clero comunicou hoje que o Congresso Teológico Internacional "Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote", nos dias 11 e 12 de março, será transmitido pela Internet, no site: www.annussacerdotalis.org.

Todas as palestras do evento, que se realiza na Sala Magna da Pontifícia Universidade Lateranense, estarão disponíveis no portal. Bispos, presidentes de Comissões para o Clero, moderadores de Institutos e associações clericais, formadores do clero e naturalmente, os sacerdotes primeiros e principais responsáveis de sua formação permanente, estão convidados. O programa será aberto com uma conferência do Cardeal Cláudio Hummes, Prefeito da Congregação para o Clero.

Cristologia, Identidade Sacerdotal, Cultura Contemporânea, Mariologia, Mutações Antropológicas, Hermenêutica da Continuidade, serão alguns dos temas do primeiro dia. Dom Filippo Santoro, Bispo de Petrópolis, fará palestra intitulada “Do Ser à Função: Pela Missão”.

Serão abordados também aspectos pastorais e jurídicos; a espiritualidade do ministério sacerdotal, perfis histórico-doutrinais e psicoespirituais do celibato eclesiástico; castidade, virgindade, carisma institucional.

Na conclusão, falará o Secretário da Congregação para o Clero, Dom Mauro Piacenza,seguido pelo Cardeal-Prefeito, Dom Cláudio Hummes.

Fonte: Rádio Vaticano

segunda-feira, 8 de março de 2010

Aborto: mais de 600 mil pessoas em protesto na Espanha

As ruas do centro da capital espanhola (Madrid) ficaram tomadas por um grande "Sim à vida" neste domingo, 7. O slogan é da Marcha Internacional pela Vida 2010, que aconteceu em cerca de 70 cidades espanholas e algumas na Europa, América Latina e Austrália.

A manifestação levou cerca de 600 mil pessoas às ruas de Madrid, em protesto à aprovação de uma lei proposta pelo governo do primeiro-ministro, José Luis Rodriguez Zapatero.

A nova regra libera completamente o aborto até a 14ª semana de gestação e permite que menores de 16 e 17 anos sejam submetidos à intervenção sob absoluta autonomia (e sozinhos), sem necessitar da autorização dos pais. Até o momento, o aborto era permitido somente em caso de violência sexual, mal-formação fetal ou grave risco físico e psicológico para a mãe.

"Algo que caracteriza nosso governo é um projeto para redefinir a identidade social e histórica da espanha moderna", cita Zapatero no livro-entrevista Retrato de um presidente, lançado em 2007.

Zapatero já enfrenta severas críticas e perdeu o apoio de grande parcela da sociedade, que o apoiava majoritariamente. Além das impopulares medidas para reprimir a crise econômica, a ação contraditória em campos delicados, como o do direito à vida, decepciona boa parte dos espanhóis, que nutre posições opostas às do primeiro-ministro.

Para o governo socialista, a norma representa um "progresso" para as mulheres espanholas. Mas isso é falso, conforme denuncia o Instituto de Política Familiar (IPF). Na maioria das nações europeias, é necessário que se justifique o porquê do aborto, e os menores não podem interromper a gravidez sem o consentimento dos pais.

A nova lei entrará em vigor daqui a quatro meses. O Chefe de Estado, Rei Juan Carlos de Bourbon, apesar de católico praticante, assinou a normativa no último dia 3. O texto foi publicado no Boletim Oficial do Estado no dia 4. Os bispos espanhóis declararam, em novembro do ano passado, que qualquer envolvido no processo de aprovação da nova lei entraria em processo de excomunhão automática.


Aborto na Espanha e na Europa

Um aborto a cada quatro minutos e meio. 13 abortos por hora. 317 por dia. Números alarmantes, em contínuo crescimento.

O negócio da interrupção voluntária da gravidez (98% dos procedimentos são realizados em clínicas privadas) não atravessa nenhuma crise na Espanha. Nos últimos dez anos (entre 1998 e 2008), os abortos aumentaram 115%, passando de 53.847 para 115.812 por ano. Em 2008, uma gravidez a cada cinco foi interrompida voluntariamente.

Apesar dos esforços do governo de Zapatero - que assegura que a nova lei do aborto alinhará a Espanha ao resto da Europa -, o triste panorama ibérico está em contradição com relação a inúmeros países vizinhos.

A Espanha é o país em que os abortos mais aumentaram. Enquanto Itália, Alemanha e Romênia (países em que foram registrados mais abortos nos últimos anos) apresentam queda nos números, o fenômeno continua em ascensão na Espanha.

Os abortos realizados no país, na última década, representam 87% do incremento total dos primeiros 15 países da União Europeia. É o que mostra o último relatório do Instituto de Política Familiar (IPF). Os cálculos são "terrivelmente" simples: na Espanha, os abortos crescem 5% ao ano. De acordo com o presidente do IPF, Eduardo Hertfelder, se a tendência não mudar, os números podem ultrapassar os 220 mil abortos por ano até 2020.

No futuro, abortar será ainda mais fácil.

Projeto social de Zapatero

De acordo com o diretor do Centro Europeu de Estudos sobre População, Ambiente e Desenvolvimento (Cespas), Riccardo Cascioli, "o projeto social de Zapatero é claramente totalitário e busca redefinir o direito à vida, o significado da família e a liberdade religiosa". "A política é criar o direito de criar novos direitos", complementou Zapatero no livro. "A ideia de uma lei natural que precede as leis dos homens é uma relíquia ideológica", assegurou o primeiro-ministro.

A nova legislatura (2009-2012) tem como programa uma redefinição do direito à vida: da procriação assistida à liberalização do aborto; da liberação da pílula do dia seguinte à eutanásia, bem como a pesquisa com embriões. Nesta perspectiva, Zapatero também persegue a eliminação do direito à objeção de consciência que, em suas palavras, "não pode ser desculpa permanente para desobedecer a lei".

"Também se inclui no projeto de Zapatero a consolidação da ideologia de gênero, proposto no Plano nacional de direitos humanos e também perpassada na educação sexual obrigatória. Com relação à religião, busca-se expeli-la da vida pública, substituindo a moral religiosa pela 'moral do Estado'", sublinha o diretor do Cespas.




Fonte: Agências e Avvenire (tradução de CN Notícias)

domingo, 7 de março de 2010

Deus não quer o mal, mas se o permite é por um bem maior, diz Papa

No Angelus deste domingo, 7, o Papa Bento XVI convidou os fiéis presentes na praça São Pedro, no Vaticano, a refletirem sobre os sofrimentos que acontecem em nossas vidas, e explicou que não trata-se de uma punição divina. "As desventuras, os acontecimentos funestos não devem ser para nós motivo de curiosidade ou de busca dos culpados, mas sim uma ocasião para refletir, para vencer a ilusão de poder viver sem Deus e para reforçar, com a ajuda do Senhor, nosso empenho em mudar de vida”, disse.

Refletindo sobre a liturgia deste domingo, o Papa destaca que, “perante a apressada conclusão de considerar o mal como efeito da punição divina, Jesus restitui a verdadeira imagem de Deus que é bom e não pode querer o mal, advertindo sobre a tendência a pensar que as desgraças são o efeito imediato de culpas daqueles a quem acontecem”.

“Diante de sofrimentos e de lutos, a autêntica sabedoria é deixar-se interpelar pela precariedade da existência e ler a história humana com os olhos de Deus, o qual, querendo sempre e exclusivamente o bem de seus filhos – por um desígnio insondável do seu amor – certas vezes permite que sejam provados pela dor, para conduzi-los a um bem maior”.

O Papa assegurou aos fiéis que “diante do pecado, Deus se revela misericordioso e não cessa de chamar de novo os pecadores a evitarem o mal, a crescerem em seu amor e a ajudarem concretamente o pobre desamparado, para viver a alegria da graça e não ir ao encontro da morte eterna. Mas a possibilidade de conversão exige que aprendamos a ler os fatos da vida na perspectiva da fé, isto é, animados pelo santo temor de Deus"

Como todos os domingos, o Papa fez saudações em várias línguas. Em português, disse: “Saúdo cordialmente a todos os peregrinos de língua portuguesa, de modo particular aos fiéis paroquianos de Santo António de Nova Oeiras, no Patriarcado de Lisboa, desejando que esta vinda a Roma vos confirme na fé e na necessidade de a transmitir aos outros, porque é dando a fé que ela se fortalece. A Santíssima Virgem guie maternalmente os vossos passos. Acompanho estes votos, com a minha Bênção Apostólica”.

Em francês, Bento XVI expressou seu pesar pela morte e a destruição causadas pela passagem da tempestade Xynthia na costa atlântica da França, que nos últimos dias, provocou 53 vítimas.

Enfim, o Papa desejou a todos um ‘bom domingo’, e concedeu aos presentes, ouvintes e telespectadores a sua benção apostólica.


Fonte: Canção Nova e Rádio Vaticano

quinta-feira, 4 de março de 2010

PAPA PEDE A CHILENOS QUE AJAM COM 'ESPÍRITO GENEROSO'

O papa Bento XVI pediu hoje aos chilenos que ajam motivados por um "espírito generoso" e por uma "solícita caridade" para auxiliar os afetados pelo terremoto ocorrido no último sábado.
As afirmações do Santo Padre estão contidas em uma mensagem enviada pelo Vaticano ao presidente da Conferência Episcopal Chilena, Alejandro Goic.

No texto, Bento XVI diz que ficou "profundamente comovido com a dolorosa notícia do sismo" e oferece "fervorosas orações a Deus para que conceda seu consolo aos afetados por uma desgraça tão grande e inspire em todos sentimentos de esperança cristã e de solidariedade fraterna".

"Com estes sentimentos, e invocando a proteção de Nossa Senhora do Carmo (padroeira do Chile), compartilho de coração a confortadora Bênção Apostólica, como sinal de afeto ao amado povo chileno", afirma a mensagem.
O tremor ocorrido na madrugada de sábado causou 802 mortes, segundo os últimos dados oficiais. Além disso, calcula-se que dois milhões de pessoas tenham sido afetadas.
A região centro-sul do país foi especialmente atingida. Ondas gigantes geradas pelo movimento telúrico causaram destruição em pontos do litoral.

No domingo, ao celebrar o Angelus, na Praça São Pedro, o Papa já havia manifestado solidariedade ao país sul-americano. "Rezo pelas vítimas e estou espiritualmente próximo às pessoas que passaram por esta grave calamidade", disse.



Fonte: ANSA

quarta-feira, 3 de março de 2010

Papa diz que inveja e ciúmes também acontecem entre religiosos

O papa Bento XVI afirmou hoje que "casos de inveja e ciúmes" também acontecem "entre os religiosos", e defendeu a humildade como qualidade a ser adotada por todas as pessoas.

As declarações do Pontífice foram feitas na presença de 9 mil pessoas que assistiram à audiência pública das quartas-feiras no Vaticano.

O papa dedicou a catequese da audiência ao teólogo franciscano São Boaventura (1217-1274).

"São Francisco de Assis foi um homem que se aproximou apaixonadamente de Cristo. No amor, ele se configurou plenamente com Ele. São Boaventura apontava essa característica para todos os seguidores de Francisco. Esse ideal é válido para todos os cristãos, ontem, hoje e sempre", explicou.

Expressando-se em polonês, o papa lembrou o bicentenário do nascimento de Frederic Chopin, e afirmou que a música "desse grande compositor polonês leva aqueles que a escutam a se aproximarem de Deus, e também ajuda a descobrir a profundidade do espírito humano".


Fonte: EFE.

Página no facebook

Página no facebook
Curta nossa página no facebook, clique na imagem acima!