"Por isso, digo-vos: não tenhais medo de construir a vossa vida na Igreja e com a Igreja! Sede orgulhosos do amor a Pedro e à Igreja que lhe foi confiada. Não vos deixeis enganar por aqueles que desejam opor Cristo à Igreja! Só existe um rochedo sobre o qual vale a pena construir a própria casa. Esta rocha é Cristo. Só há uma pedra sobre a qual vale a pena fundamentar tudo. Esta pedra é aquele a quem Cristo disse: 'Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja' (Mt 16, 18)".

Papa Bento XVI.
Discurso durante o encontro com os jovens no parque de Błonia. Cracóvia, 27 de Maio de 2006.

Visite nosso canal no YouTube!

Visite nosso canal no YouTube!
Clique na imagem

sábado, 22 de dezembro de 2012

Papa concede perdão a ex-mordomo condenado por roubo de documentos

Paolo Gabriele se reunião com Bento XVI por 15 minutos e logo depois foi liberado; Vaticano informou que encontro entre os dois, que trabalharam juntos por 6 anos, foi 'intenso'
 
iG São Paulo |

Papa se reúne com seu ex-mordomo
Paolo Gabriele lhe concede perdão.
O papa Bento XVI perdoou Paolo Gabriele, seu ex-mordomo que foi condenado em outubro por vazar documentos confidenciais sobre um suposto caso de corrupção na Santa Sé, informou o Vaticano neste sábado (22).
 
O papa visitou Gabriele na prisão na manhã deste sábado para lhe conceder pessoalmente o perdão. O encontro durou 15 minutos. Gabriele foi então liberado e já voltou para seu apartamento na cidade do Vaticano, onde viva com sua mulher e seus três filhos.
 
O Vaticano informou que ele não continuaria vivendo ou trabalhando dentro do Vaticano, mas que a Santa Sé "pretende oferecer a ele uma possibilidade para serenamento recomeçar sua vida junto à sua família".
 
O porta voz do vaticano, reverendo Federico Lombardi, disse que o encontro do papa com Gabriele foi "intenso" e "pessoal", destacando que o ex-mordomo e Bento XVI trabalharam juntos por seis anos.
 
Gabriele havia sido condenado por furto qualificado em 6 de outubro no ano passado e estava cumprindo uma sentença de 18 meses em uma cela do Vaticano.
 
Ele foi preso em maio, depois que a polícia encontrou com ele vários documentos que haviam sido roubados do escritório do papa. Gabriele os repassou para a mídia, no caso que ficou conhecido como Vatileaks.
 
O Vaticano disse que o papa também tinha perdoado um segundo empregado do Vaticano, Claudio Sciarpelletti, que foi condenado por cumplicidade Gabriele.
 
Fonte: IG e RomeReports.com

Nenhum comentário:

Página no facebook

Página no facebook
Curta nossa página no facebook, clique na imagem acima!